top of page

Veja quem são os dentistas investigados por atuar como médicos

Igor Leonardo Soares Nascimento, Hellen Kacia Matias da Silva, Ana Clara Franco e Humberto Lino de Andrade estão com os registros suspensos. Os quatro foram alvos de busca e apreensão na manhã de quarta-feira.


G1-Goiás

Dentistas Igor Leonardo Soares Nascimento, Hellen Kacia Matias da Silva, Ana Clara Franco e Humberto Lino de Andrade, investigados por realizar procedimentos estéticos autorizados apenas por médicos (Goiás) — Foto: Reprodução / Redes Sociais



Quatro dentistas são investigados por atuar como médicos para realizar procedimentos estéticos, na Grande Goiânia. Dois dos profissionais também são suspeitos de causar deformação em rostos de pacientes. A Polícia Civil cumpriu mandados contra os profissionais na manhã desta quarta-feira (22).


Um documento que a reportagem teve acesso aponta que:

  • Ana Clara Franco: já teve o registro suspenso cautelarmente pelo CRO-GO, por realizar procedimentos estéticos não autorizados. Possui dois processos éticos ativos, além de duas investigações junto ao Ministério Público de Goiás, por exercício ilegal da profissão de médico.

  • Igor Leonardo Soares Nascimento: está suspenso da profissão por decisão da Justiça desde 16 de maio de 2023. Em reportagem, a paciente Elielma Carvalho, que teve o nariz deformado após um procedimento estético executado por ele, o denunciou.

  • Hellen Matias: foi condenada em processo de indenização por ter causado danos a pacientes (deformação no nariz), após exercer prática proibida a cirurgiões-dentistas. Já foi suspensa cautelarmente pelo CRO-GO e possui, 5 processos éticos em andamento. Nas redes sociais, Hellen afirma ter criado um método que, na prática é uma plástica exclusiva da medicina.

  • Humberto Lino de Andrade: responde a processo judicial (TJ-GO) pelo exercício ilegal da medicina. Possui investigações em andamento no Ministério Público de Goiás referentes ao exercício ilegal da medicina. Já teve registro suspenso cautelarmente.

Por meio de nota, o Conselho Regional de Odontologia (CRO-GO) informou que foi "oficiado pela Polícia Civil de Goiás e prestou esclarecimentos sobre os limites de atuação dos cirurgiões-dentistas.


Investigação

De acordo com a Polícia Civil (PC), os dentistas realizavam procedimentos estéticos, autorizados apenas para médicos. Inclusive, dois deles são alvos de processo por pacientes que tiveram complicações e sequelas.


Entre os procedimentos realizados pelos profissionais estão a Alectomia (procedimento que realiza a redução da asa nasal), Blefaroplastia (procedimento cirúrgico para retirada do excesso de pele da região das pálpebras) e a Rinoplastia (procedimento para reduzir o tamanho, formato ou aspecto do nariz).


Antes mesmo da ação policial desta quarta, todos os dentistas investigados já tinham os registros profissionais suspensos de forma cautelar, alguns pelo Conselho Regional de Odontologia (CRO-GO) e outros por determinação de Justiça. Entretanto, conforme o documento obtido pela reportagem, continuaram exercendo a profissão e divulgando os serviços em perfis de redes sociais, que foram retirados do ar por determinação judicial.

Procedimentos que não podem ser realizados por cirugiões-dentistas

De acordo com o regulamento do Conselho Federal de Odontologia (CFO), cirurgiões dentistas podem realizar procedimentos estéticos, desde que não extrapole sua área anatômica de atuação, que vai da garganta até o limite superior nasal, entre as sobrancelhas e limita-se, na região da entrada do canal auditivo.


Por isso, conforme a Resolução 230/2020, editada em 2020, é vedado aos profissionais dentistas a realização de procedimentos cirúrgicos na face, tais como: Alectomia; Blefaroplastia; cirurgia de castanares ou lifting de sobrancelhas; Otoplastia; Rinoplastia; e Ritidoplastia ou Face Lifting.


Também está fora da área de atuação dos profissionais a realização de procedimentos como a micropigmentação de sobrancelhas e lábios; maquiagem definitiva; design de sobrancelhas; remoção de tatuagens faciais e de pescoço; rejuvenescimento de colo e mãos; e tratamento de calvície e outras aplicações capilares.


Nota íntegra CRO-GO

"O Conselho Regional de Odontologia de Goiás (CROGO) informa que foi oficiado pela Polícia Civil de Goiás e prestou esclarecimentos sobre os limites de atuação dos cirurgiões-dentistas. No entanto, não tem informações sobre a operação policial realizada nesta quarta-feira (22/11/2023).


74 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page