top of page

Túmulo de Lázaro violado: menina agiu motivada por sonho e convenceu namorado

"Falava que estava vivo e que precisava da ajuda dela", informou o delegado Raphael Neris


Mais Goiás

(Foto: Reprodução - Vídeo)


A Polícia Civil concluiu, na última semana, o inquérito sobre a violação do túmulo de Lázaro Barbosa (autor de uma chacina no DF, em 2021), que ocorreu no dia 15 de março deste ano, em Cocalzinho de Goiás.


Segundo o delegado Raphael Neris, foram identificados uma menina de 15 anos e um rapaz de 21 anos, que moram do setor Sol Nascente.


Ao delegado, a menina disse que vinha sonhando com Lázaro e que ele pedia que ela o retirasse do túmulo. “Falava que estava vivo e que precisava da ajuda dela”, explicou o policial. Ela, então, convenceu o namorado a fazer a escavação.


“Ficou constatado que esta pessoa que violou o túmulo não estava em sua razão, estava movida por delírios. Então não há como culpar ou condená-la pelo ato”, afirmou. Sobre a violação, a perícia constatou, à época, que nem os restos mortais e nem o caixão foram danificados, “tendo apenas a sepultura sido violada, por meio de uma escavação”.


Destaca-se, o corpo de Lázaro foi enterrado em 1º de julho de 2021. Ele ficou dois dias na câmara fria do Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia.

132 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page