top of page

Larissa Araújo morreu por asfixia causada por estrangulamento, diz polícia

Perícia aponta abuso sexual antes da morte


Olha Goiás



A Polícia Civil concluiu que a fisioterapeuta Larissa Araújo, de 25 anos, morreu por asfixia causada por estrangulamento. A informação foi divulgada pelo delegado Adelson Candeo, encarregado das investigações. O crime veio à tona na última segunda-feira (02), quando o corpo da vítima foi lançado para fora de um veículo que capotou na BR-060. O principal suspeito, Jerfeson Erivaldo da Silva Nascimento, está sob custódia desde então.

Os detalhes do crime foram revelados por uma perícia realizada pelo Instituto Médico Legal, que identificou material genético masculino no corpo de Larissa, indicando abuso sexual ocorrido antes da morte. O laudo preliminar também estima que o assassinato da jovem tenha ocorrido por volta das 6 horas da manhã.

Em uma declaração, o delegado Candeo afirmou: “Não temos o laudo definitivo ainda, mas preliminarmente, podemos afirmar que houve estupro, ou seja, com a vítima viva”.

O crime

O crime aconteceu na madrugada de segunda-feira. Larissa havia compartilhado um story em sua conta no Instagram às 01h28, assistindo a um desenho animado. As investigações policiais sugerem que Jeferson entrou na residência da vítima por volta das 4 horas da manhã e partiu do local às 6 horas, dirigindo o carro da vítima com o corpo no porta-malas.


Além do roubo do veículo, o suspeito também teria saqueado objetos da casa, incluindo um botijão de gás e uma televisão. O delegado Adelson Candeo declarou: “Esse carro era dela, estava na garagem. Os objetos que estavam dentro também eram pertences dela. Acreditamos na possibilidade de ter entrado na casa para fazer um furto, acabou progredindo para um estupro e retirou o corpo do local para evitar provas”.


Na tentativa de fuga para se desfazer do corpo, Jeferson capotou o veículo na BR-060, com câmeras de segurança da região registrando o momento do acidente. O vídeo revela o corpo sendo arremessado do carro, envolto em um lençol e amarrado. O motorista fugiu do local pela rodovia e se embrenhou em uma área de mata.


A Polícia Militar localizou Jerfeson minutos após o acidente e o conduziu à delegacia. Em seu depoimento, ele alegou ter recebido a quantia de R$100 e 25g de maconha do ex-namorado de Larissa para ocultar o corpo. No entanto, as autoridades policiais contestam a versão do suspeito, acreditando que ele seja o responsável pelo roubo, estupro e homicídio.

O ex-namorado da jovem foi ouvido pelas autoridades, mas, de acordo com informações atualizadas do delegado, não será investigado, pois não existem elementos que o vinculam ao crime.

O suspeito


Jerfeson Erivaldo, natural do Rio Grande do Norte, havia cumprido pena no estado entre os anos de 2017 a 2023 por crimes de furto e roubo, sendo solto em junho deste ano. Registros da Polícia Militar indicam que o suspeito teve mau comportamento em algumas ocasiões durante o período de encarceramento, resultando em advertências.

Com informações do G1*

39 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page