top of page

Veja quem são as vítimas fatais do acidente na BR-414, em Anapólis

Uma menina de seis anos perdeu a vida, além de outros três adultos, incluindo um casal de Iporá


Olha Goiás

Foto: Montagem/g1


O grave acidente na BR-414, próximo a Anápolis, envolvendo 18 veículos, resultou na perda trágica de quatro vidas e deixou diversas pessoas feridas. O acidente, que incliu caminhões graneleiros carregados, causou interrupções significativas no tráfego da rodovia, conforme relatado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Entre as vítimas fatais, estão uma criança e três adultos. As vítimas foram identificadas como Maria Flor Martins de Oliveira, de apenas 6 anos; Hermes Avelino Fraga Farias, de 65 anos; Lucivânia Marcelino de Carvalho Miranda, de 48 anos; e Valdeni Tiburcio de Miranda, de 52 anos. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, três pessoas perderam a vida no local do acidente, enquanto uma quarta vítima faleceu no hospital, de acordo com o Instituto Médico Legal (IML).


Lucivânia e Valdeni, duas das vítimas, eram casados e residiam na cidade de Iporá. Já Maria Flor era natural de Niquelândia, enquanto Hermes residia em Anápolis.

O acidenteque resultou em uma grande destruição e caos na rodovia, foi provocado por um caminhão que não conseguiu frear a tempo para evitar a colisão com os veículos que estavam parados na pista. A PRF está investigando as circunstâncias exatas do acidente, incluindo a possibilidade de falha nos freios do caminhão ou um possível mal súbito do motorista.


Um empresário identificado como Sandro Moreti, que estava envolvido no acidente, compartilhou sua experiência aterrorizante com a imprensa local. Ele estava no último carro atingido pelo caminhão e descreveu o impacto como um "susto muito grande". Moreti, aliviado por ter sobrevivido, mencionou também sentir dores nas costas devido à violência da colisão, afirmando: “A última pancada quem levou fui eu. Tô até com as costas meia dolorida”.


A PRF destacou que, no momento do acidente, a pista encontrava-se em obras e operava com o sistema “pare e siga”, o que resultou em diversos carros parados na rodovia. A inclinação acentuada da pista também pode ter contribuído para a gravidade do acidente. A investigação continua a fim de determinar as causas precisas dessa tragédia e evitar que incidentes similares ocorram no futuro.

645 visualizações0 comentário

Komentarze


bottom of page