top of page

Trabalho infantil: no dia mundial, pesquisa aponta que 160 milhões de crianças trabalham no mundo

A incidência é maior no continente africano, onde estima-se que mais de 72 milhões de crianças sejam vítimas dessa prática




O dia 12 de junho, Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, foi instituído pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 2002, data da apresentação do primeiro relatório global sobre o trabalho infantil na Conferência Anual do Trabalho.


Desde então, a OIT convoca a sociedade, os trabalhadores, os empregadores e os governos do mundo todo a se mobilizarem contra o trabalho infantil.


No Brasil, o 12 de junho foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil, pela Lei Nº 11.542/2007. As mobilizações e campanhas anuais são coordenadas pelo Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI), em parceria com os Fóruns Estaduais de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador e suas entidades membros.


O símbolo da campanha e da luta contra o trabalho infantil no Brasil e no mundo é o cata-vento de cinco pontas coloridas (azul, vermelha, verde, amarela e laranja). Ele tem um sentido lúdico e expressa a alegria que deve estar presente na vida das crianças e adolescentes. O ícone representa ainda movimento, sinergia e a realização de ações permanentes e articuladas para a prevenção e a erradicação do trabalho infantil.


O mote da campanha desse ano - “Proteger a infância é potencializar o futuro de crianças e adolescentes. Chega junto para acabar com o trabalho infantil” - propõe um chamado à sociedade para erradicar o trabalho infantil, observando que a proteção à infância é fundamental tanto para o enfrentamento do trabalho infantil, como para o florescimento das potencialidades de crianças e adolescentes.


Atualmente, aproximadamente 160 milhões de crianças ainda estão envolvidas em trabalho infantil em todo o mundo, o que equivale a quase uma em cada dez crianças. A incidência é maior no continente africano, onde estima-se que mais de 72 milhões de crianças sejam vítimas dessa prática.


Embora a porcentagem de crianças em situação de trabalho infantil seja maior em países pobres, o número absoluto de crianças nessas condições é maior em países de renda média. Cerca de 84 milhões de crianças em situação de trabalho infantil, o que representa 56% de todas as crianças nessa condição, vivem em países de renda média, e outros dois milhões vivem em países de alta renda.


Diante desses números alarmantes, a Organização Internacional do Trabalho defende a criação de uma Coalizão Global por Justiça Social, com a eliminação do trabalho infantil como prioridade.


13 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page