top of page

SES alerta a importância de atualizar vacinas contra Covid-19 antes do carnaval

Doses em atraso podem comprometer o esquema vacinal e contribuir para o aumento de casos graves no período de festa


Olha Goiás

Fonte - SES


Após dois anos sem Carnaval de rua devido à pandemia de Covid-19, é reforçada a importância da atualização das vacinas no prazo adequado para que os imunizantes façam efeito antes do feriado prolongado, a fim de prevenir os casos graves da doença e garantir a segurança dos foliões. Em geral, a proteção começa em duas semanas após a segunda dose.


A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES) destaca que todos devem procurar uma unidade de saúde para conferir quais imunizantes estão em atraso para que seja feita a atualização do cartão de vacinas, principalmente em relação às vacinas contra a Covid-19.

De acordo com a Superintendência de Vigilância Sanitária, mais de 2 milhões de goianos que estão aptos a receber a dose de reforço (terceira dose) ainda não o fizeram.

“O imunizante que protege contra a Covid-19 tem prazos muito específicos devido à mutação do vírus. É muito importante seguir as recomendações dos intervalos entre as doses para garantir a eficácia da proteção”, explica a superintendente de Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim.

Quem pode vacinar


Atualmente, o Ministério da Saúde recomenda a aplicação de até cinco doses da vacina contra a Covid-19 a depender da idade e condições de saúde de cada pessoa. Em Goiás, as doses estão liberadas para uma ampla faixa etária que vai desde os seis meses de idade até acima de 80 anos.


A primeira dose é recomendada para todos a partir dos seis meses. As crianças contam com doses infantis específicas. Na semana passada, o Estado recebeu 250 mil doses da Pfizer Baby e Pediátrica. Esses imunizantes são destinados para crianças de até 11 anos de idade. Pessoas acima de 12 anos já podem receber a vacina destinada aos adultos.


A segunda dose da vacina está disponível nas unidades de saúde para todos que tomaram a primeira dose há, pelo menos, um mês.


“Quem recebeu a CoronaVac como primeira dose tem de esperar um mês, quem foi vacinado com a Pfizer ou a AstraZeneca tem de esperar dois meses para receber a segunda dose”, explica Flúvia. Quem tomou a dose da Janssen precisa do reforço após dois meses.


Para quem precisa tomar a terceira dose, a dica é procurar o cartão de vacinas para conferir a data da última aplicação já que o intervalo aumenta. O tempo de espera entre a segunda e terceira dose é de quatro meses para quem recebeu a CoronaVac, Pfizer ou AstraZeneca.


Mais uma dose

Em Goiás, a quarta dose está liberada apenas para pessoas acima de 30 anos, trabalhadores da saúde e imunossuprimidos acima de 12 anos que tomaram a terceira dose, de qualquer fabricante, há quatro meses.


“A decisão de vacinar pessoas acima de 30 anos foi tomada após ampla discussão entre os gestores de saúde em Goiás. Essa faixa etária já está abaixo do proposto pelo Ministério da Saúde que é de vacinar com a quarta dose apenas a população acima de 40 anos” reforça Flúvia.


A quinta dose da vacina para a Covid-19 está liberada apenas para os imunossuprimidos com mais de 30 anos. Esse público diz respeito às pessoas com baixa imunidade que apresentam enfraquecimento do sistema imunológico, seja por algumas doenças, por uso de medicamentos ou pela realização de procedimentos médicos.

5 visualizações0 comentário
bottom of page