top of page

Servidor denuncia prefeito de Nazário na Polícia Civil por agressão e homofobia

Conforme funcionário, gestor teria empurrado ele contra parede, além de ter desferido socos no peito e arranhado pescoço dele



Mais Goiás

Servidor acusa ter sido vítima de agressão pelo prefeito de Nazário (Foto: Reprodução)



Guilherme Fedrigo acusou o prefeito de Nazário, João Batista de Carvalho, de agressão e homofobia. De acordo com ele, o gestor teria o empurrado, enforcado e o chamado de “viadinho”. A lesão corporal foi registrada pela Polícia Civil do município, na quinta-feira (18).


Rafael Borges de Macedo, delegado responsável pelo caso, informou que foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) de lesões corporais. Segundo o policial, o servidor foi à prefeitura requerer uma guia de exame pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para um paciente.


Ao delegado, Guilherme explicou que um paciente dele teria ido ao hospital público realizar uma tomografia, mas que o requerimento do exame teria sido negado sob a alegação da secretaria municipal de Saúde de que o documento deveria ter sido pedido por médico e não por um odontologista. Por isso, ele decidiu buscar ajuda com o prefeito.


No entanto, o dentista denunciou ter recebido ofensas e agressões físicas por parte de João Batista. Conforme o servidor, o prefeito teria o empurrado contra a parede, desferido socos no peito e arranhado o pescoço dele. Em meio às agressões, a primeira-dama tentou separar a briga e também acabou se machucando.


“Durante a desavença, o servidor chegou a puxar o braço e agredir a primeira-dama e, em resposta a legítima defesa de terceiro, o prefeito atravessou na frente e, ao empurrá-lo, também causou lesão no servidor”, informou o delegado.


O delegado ainda ressaltou que a questão da homofobia só constou no depoimento do servidor. Ele disse que será instaurado um procedimento, caso o cirurgião dentista apresente alguma testemunha ou qualquer outro elemento que corrobore que ele foi vítima de homofobia.


Em nota, a Prefeitura de Nazário informou que repudia veementemente qualquer forma de violência, desacato ou comportamento desrespeitoso, especialmente quando direcionados às mulheres. Além disso, informou que o prefeito agiu “em defesa e proteção da sua esposa”. Leia a nota completa na íntegra.


O Mais Goiás não localizou a defesa de Guilherme Fedrigo. O espaço está aberto.


Nota Prefeitura de Nazário


“A Prefeitura de Nazário repudiar veementemente qualquer forma de violência, desacato ou comportamento desrespeitoso, especialmente quando direcionados às mulheres e solidariza com as vítimas.


O servidor Sr. Guilherme demonstrou um comportamento extremamente alterado, proferindo palavras hostis e agindo de forma violenta contra a nossa colaboradora. A agressão foi uma intervenção decisiva que teve como objetivo primordial a defesa e proteção da sua esposa diante da injusta agressão perpetrada pelo servidor Sr. Guilherme.


O ato do Sr. João Batista foi realizado em um contexto de legítima defesa e em resposta a uma situação de grave agressão, evidenciando sua preocupação e comprometimento com o bem-estar e a segurança da sua esposa.


Diante desses lamentáveis acontecimentos, a administração municipal reafirma seu compromisso inabalável com a igualdade de gênero e a proteção dos direitos das mulheres. Além disso, será instaurado um procedimento administrativo para apurar detalhadamente a conduta do servidor envolvido e tomar as medidas disciplinares cabíveis, conforme previsto em nossa legislação interna e nos princípios éticos que regem o serviço público.


Reiteramos nosso compromisso com a integridade física, emocional e profissional de todas as nossas colaboradoras, bem como com a construção de um ambiente de trabalho pautado pelo respeito, pela igualdade de gênero e pela promoção da cultura de paz”.

4 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page