top of page

Sem saber nadar, padrasto pula em rio e salva enteada de 3 anos que se afogava após cair em cachoeira

Segundo bombeiros, menina escorregou e caiu em uma região de correnteza do rio. Ela está internada na UTI do Hugol, em Goiânia.




G1-Goiás

Nataly Marielle da Silva Sousa, de 3 anos, se afogou em rio, em Iporá, Goiás — Foto: Arquivo pessoal/Alexandra Renata da Silva Sousa



A pequena Nataly Marielle da Silva Sousa, de 3 anos, está internada em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após se afogar no rio Ribeirão Cachoeirinha, em Iporá, no oeste goiano. O padrasto dela, de 23 anos, foi quem pulou na água para salvá-la, mesmo sem saber nadar.


“Ela já estava roxa, sem vida, consegui pôr ela em cima de uma pedra e pedir a Deus: ‘Não leva ela não’. Ver uma criança daquele jeito ali, cara, foi Deus que olhou”, disse emocionado, o mecânico José Lucas Silva Costa.


O caso aconteceu no sábado (3), enquanto a família aproveitava o final de semana no Parque Municipal da Cachoeirinha. A mãe da criança, Alexandra Renata da Silva Sousa, diz que a filha estava lavando as mãos na cachoeira, quando escorregou e caiu.


"Eu estava no carro com meu marido pegando lanche para as crianças, até que minha irmã gritou por socorro e nós saímos desesperados procurando por ela", relembra a mãe.


José Lucas disse que, como não sabe nadar, também começou a se afogar enquanto procurava pela enteada. Ele afirma que sentiu tanto desespero, que não se lembra direito de como tudo aconteceu.


“Fiquei desesperado, atravessei correntezas, me afundei e bati a cabeça. Comecei já também a afogar, a engolir água. Foi quando consegui pegar ela. Acho que eu peguei foi na perninha, puxei e joguei ela no meu ombro”, lembra o padrasto.


O sargento Ulisses Peres, do Corpo de Bombeiros, relata que foi José Lucas quem também fez os primeiros socorros na menina. Quando a equipe chegou, ela ainda estava desacordada, mas apresentava batimentos cardíacos. "Foi Deus que fez esse cara achar a menina”, afirma o militar.


Foram realizadas manobras de ressuscitação, em que a menina vomitou secreção e retornou a consciência, sendo transportada para uma unidade de saúde de Iporá. Segundo Ulisses, a agilidade do padrasto em encontrar a criança foi determinante para salvar a vida dela.


“Em ocorrências de afogamento é muito difícil a gente chegar e a vítima ainda estar com vida. Se não fosse a ajuda do padrasto, com certeza essa ocorrência poderia não ter sido bem sucedida”, afirmou o sargento.


Apesar do resgate rápido, Nataly precisou ser encaminhada para o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia. À reportagem, a unidade de saúde informou que a menina está internada na UTI, mas tem estado de saúde regular, está consciente e respira espontaneamente.

16 visualizações0 comentário

Opmerkingen


bottom of page