top of page

Seis são presos suspeitos de comercializar adubos falsificados para produtores rurais de Goiás

Produtores só descobriram que os fertilizantes eram falsificados após fazerem testes em laboratórios. Porém, muitos acabaram usando o produto em lavouras, prejudicando a produção



Mais Goiás

Seis são presos suspeitos de comercializar adubos falsificados para produtores rurais de Goiás (Divulgação/PCGO)




Seis pessoas foram presas em São Paulo e no Paraná suspeitas de integrar uma organização criminosa que comercializava adubos falsificados para produtores rurais de Goiás e de outros estados, causando prejuízos milionários. Segundo a Polícia Civil, além das prisões, sete mandados de busca e apreensão foram cumpridos.


As investigações que resultaram na Operação Deméter, deflagrada na quarta-feira (12), apontam que o grupo atuava por meio de uma empresa de fachada, há um ano. Eles comercializavam o adubo com preços bem inferiores aos de mercado, alegando que os fertilizantes eram trazidos do exterior a preços menores, e assim atraiam vários produtores.


“Os seis integrantes foram presos e já se encontram na sede do COP, em Curitiba, onde serão interrogados E, posteriormente, o inquérito concluído e encaminhado ao Poder Judiciário”, disse o delegado Leonardo Sanches.


Falsificação


Os produtores rurais só descobriram que os fertilizantes eram falsificados após fazerem testes em laboratórios. Porém, muitos produtores não realizaram os testes e acabaram usando o produto em lavouras, prejudicando toda a produção.


Durante a operação, os policiais ainda constataram que a organização criminosa abriu outras empresas de fachada e continuava aplicando o mesmo golpe em produtores rurais de vários estados.


A ação foi cumprida por meio da Delegacia de Silvânia, com apoio do Grupo Especial de Investigação Criminal – 3ª DRP, PC do Paraná e PC SP.


Os nomes dos investigados não foram divulgados pela PC, por isso não foi possível localizar as defesas para um posicionamento.

15 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page