top of page

Rio Grande do Sul confirma quinta morte por leptospirose em meio a enchentes

Vítima era moradora de Viamão



Mais Goiás

Enchente no Rio Grande do Sul (Foto: Agência Brasil)



O governo do Rio Grande do Sul confirmou nesta segunda-feira (27) a quinta morte por leptospirose relacionada à enchente histórica que atinge o estado desde o início do mês.


Segundo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde, a quinta vítima é de Viamão, na região metropolitana de Porto AlegreAs quatro mortes anteriores foram registradas em Venâncio Aires, Travesseiro, Cachoeirinha e Porto Alegre.


Outros nove casos de mortes que podem ter sido causados pela doença são investigados.


Segundo o boletim, até o momento foram notificados 1588 casos de leptospirose. Desse total, 124 foram confirmados, 542 foram descartados e 922 ainda são investigados.


A leptospirose é uma das principais doenças que acontecem em casos de inundações, transmitida pela exposição direta ou indireta à urina de animais (principalmente ratos) infectados.


Os sintomas surgem normalmente de cinco a 14 dias após a contaminação, podendo chegar a 30 dias.


A orientação é que a população procure um serviço de saúde logo nos primeiros sintomas: febre, dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo (em especial na panturrilha) e calafrios. O contágio ocorre pelo contato da pele com a água contaminada ou por meio de mucosas.


A contaminação pode ocorrer em qualquer época do ano, mas as chances de contágio são maiores quando há inundações, enxurradas e lama. Quando há ferimentos ou arranhões, a bactéria penetra mais facilmente no organismo humano.


A Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul recomenda o uso de calçados ao caminhar por áreas alagadas, evitar qualquer tipo de contato com roedores (os principais transmissores) e lavar bem os alimentos.



5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page