top of page

Presos suspeitos de executarem rival na frente da mulher grávida em Trindade

Detidos não tiveram as identidades divulgadas


Mais Goiás

(Foto: Polícia Civil)


Uma disputa entre traficantes de uma mesma organização criminosa do Pará, segundo a Polícia Civil, foi o que motivou o assassinato de um homem em agosto passado, em Trindade, na região metropolitana de Goiânia. Na terça-feira (31), três suspeitos de praticarem o crime foram presos.


Paulo Victor Moisés da Silva, de 25 anos, foi morto a tiros ao lado do irmão, e da esposa, que estava grávida, na manhã do último dia 13 de agosto no Setor Maysa. A câmera de segurança de uma residência mostrou quando a vítima foi abordada pelos atiradores, que chegaram e fugiram em um carro preto.


A suspeita da polícia é que a intenção dos atiradores era matar, também, o irmão de Paulo, que conseguiu fugir correndo a pé, e não foi atingido pelos disparos. Os irmãos e os autores dos disparos, segundo as investigações, atuavam como traficantes no Pará, mas se mudaram para Goiás depois que vários criminosos foram executados por rivais naquele estado.


“Engraçado que eles vieram para cá para fugir de uma violência que eles mesmos provocaram lá com o tráfico, e depois de passaram por Goiânia, Senador Canedo, e Aparecida de Goiânia, se mudaram para Trindade, de onde continuaram comandando a venda de drogas no Pará, até que, em determinado momento, acabaram se desentendendo”, declarou o delegado Douglas Pedrosa, titular do Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Trindade.


Além dos três pesos, que não tiveram as identidades reveladas, outros dois paraenses também participaram do assassinato em agosto passado. Odimar de Souza Medrado, o “Fernando”, e Pablo Henrique Cardoso Dias, também tiveram suas prisões decretadas, mas ainda não foram localizados.


Dois suspeitos que tiveram prisões decretadas seguem foragidos


A DIH de Trindade decidiu divulgar nomes e imagens deles para que, caso alguém saiba onde eles estão escondidos, que denunciem. Segundo a PC, “A divulgação das imagens e identificação dos investigados foi precedida, nos termos da Lei n.º 13.869 e Portaria n.º 547/2021- PC, de despacho fundamentado do delegado de polícia responsável pelo inquérito policial, notadamente porque pode auxiliar na identificação de novas testemunhas, e na localização dos suspeitos foragidos”. Denúncias sobre o paradeiro deles podem ser feitas, mesmo que de forma anônima, pelo telefone 197.

69 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page