top of page

Preços da arroba do boi gordo seguem em alta no Brasil

Os principais fatores que sustentam a alta dos preços do boi são a oferta restrita de animais terminados e a demanda aquecida


Canal Rural

Foto: Plínio Queiroz/divulgação


O mercado físico do boi gordo no Brasil voltou a apresentar negociações acima da referência média na quinta-feira (30).


Segundo informações da Safras & Mercado, o ambiente de negócios ainda sugere pela continuidade deste movimento no curto prazo.


Os principais fatores que sustentam a alta dos preços são a oferta restrita de animais terminados e a demanda aquecida. A oferta de boiadas terminadas a pasto está reduzida devido às chuvas irregulares no Centro-Norte do país, que mantêm as pastagens em condições ruins. Por sua vez, a demanda segue forte, impulsionada pelo ápice do consumo no mercado doméstico.


Em São Paulo, Capital, a referência média para a arroba do boi ficou em R$ 242. Já em Goiânia, Goiás, a indicação foi de R$ 240 para a arroba do boi gordo. Em Uberaba (MG), a arroba teve preço de R$ 238. Já em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 231. Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 207.


O mercado atacadista também registrou preços mais altos para a carne bovina no dia de hoje. Conforme Iglesias, o ambiente de negócios ainda sugere pela continuidade deste movimento no curto prazo.


A entrada do décimo terceiro salário, a criação de postos temporários de emprego, outras bonificações e as confraternizações de final de ano têm efeito bastante positivo sobre a demanda, em especial sobre os cortes de maior valor agregado, tipicamente ligados ao traseiro bovino.


O quarto traseiro foi precificado a R$ 19,70 por quilo, alta de R$ 0,10. O quarto dianteiro atingiu o patamar de R$ 13 por quilo, alta de R$ 0,10. A ponta de agulha atingiu o patamar de R$ 13,10 por quilo, alta de R$ 0,10.

40 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page