top of page

Policiais de Goiás cumprem mais de 100 mandados em operação contra falsa venda de gado

Polícias de Goiás e Mato Grosso unem forças para desbaratar quadrilha especializada em fraudes eletrônicas e lavagem de dinheiro


Olha Goiás



A Polícia Civil de Goiás, em cooperação com o Grupo de Repressão a Estelionatos e Outras Fraudes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais e a Delegacia Especializada em Estelionatos e Outras Fraudes da Polícia Civil do Mato Grosso, desencadeou com sucesso a Operação Fake Farmer, que teve como alvo uma associação criminosa especializada em crimes de fraude eletrônica e lavagem de capitais, com destaque na modalidade do Falso Intermediário.

Com o objetivo de cumprir 61 mandados de busca e apreensão e 57 mandados de prisão em diversos municípios do Mato Grosso (MT), além de sequestrar a quantia de R$ 1,5 milhão e bloquear mais de 830 contas bancárias, as ações judiciais foram executadas nesta terça-feira (24).

No total, a operação resultou na prisão de 41 suspeitos e na execução de 61 mandados de busca e apreensão. Entre as apreensões, destacam-se três armas de fogo, R$ 106 mil em espécie e diversos aparelhos celulares, que serão submetidos a análise no âmbito da investigação de lavagem de dinheiro.


As investigações tiveram início a partir de informações sobre um golpe que envolvia a intermediação na compra e venda de grandes quantidades de gado. O modus operandi da quadrilha consistia em manter contato com diversos corretores de gado, apresentar-se ao verdadeiro proprietário dos animais como devedor do comprador e alegar que havia adquirido o rebanho por meio de uma transação imobiliária.

De acordo com o delegado Leonardo Dias, do Grupo de Repressão a Estelionatos e Outras Fraudes (Gref), o grupo criminoso enganava tanto os compradores quanto os vendedores.


Durante as negociações, os criminosos convenciam o efetivo comprador a efetuar seis transferências PIX, totalizando o valor de R$ 1,5 milhão, para contas em nome de cúmplices no Mato Grosso, os quais, por sua vez, distribuíam esses fundos por outras 52 contas bancárias.

A Operação Fake Farmer contou com o apoio logístico e de planejamento da Secretaria Nacional de Segurança Pública (MJ/Senasp), demonstrando a eficácia da parceria e integração entre as polícias civis, consolidada através do Projeto Mosaico, no combate a diversos tipos de crimes, incluindo as fraudes eletrônicas e a lavagem de dinheiro.

O delegado Leonardo Dias aproveita para emitir um alerta à população, aconselhando que as pessoas fiquem atentas para não se tornarem vítimas de golpes semelhantes. Ele destaca que é importante desconfiar de grandes disparidades entre o valor de mercado de um bem e o preço oferecido, bem como evitar negociações com supostos corretores.


O ideal é que as transações sejam efetuadas diretamente entre comprador e vendedor, com os pagamentos sendo realizados na conta do vendedor. Caso alguém seja vítima de um golpe, é fundamental que procure imediatamente a Polícia Civil para relatar o ocorrido e buscar as devidas providências.

18 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page