top of page

Polícia investiga morte de vendedora em hospital de Goiás

Eychila Daniely, de 21 anos, fez cirurgia para retirar pedras no canal da bile. Segundo a família, ela recebeu alta e, dias depois, surgiram manchas na pele similares à queimaduras, quando ela precisou ser internada e ficou dias à espera de UTI especializada.


G1-Goiás

Eychila Daniely Araujo Nunes, de 21 anos, morreu em Trindade, Goiás — Foto: Reprodução/Instagram Eychila Daniely


A Polícia Civil investiga a morte da vendedora Eychila Daniely Araujo Nunes, de 21 anos. Segundo a família, Eychila passou por uma cirurgia para retirar pedras no canal da bile e recebeu alta do hospital em Goiânia, mas, dias depois, surgiram manchas na pele similares a queimaduras, e ela precisou ser internada em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, onde ficou cinco dias à espera de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) especializada para queimados.


Eychila morreu no último dia 31 de janeiro deste ano, no Hospital Estadual de Trindade (Hetrin), onde foi internada na enfermaria em 20 de janeiro. Um dia depois, ela foi para a UTI da unidade. Como piorou, o hospital pediu a transferência para uma UTI especializada em queimaduras, o que não ocorreu.


Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que prestou toda a assistência médica à paciente e solicitou a vaga na UTI para queimados. A SES-GO pontuou que não divulga mais informações sobre o quadro clínico da paciente por causa do sigilo médico.


Já a cirurgia para retirar as pedras foi realizada no dia 14 de janeiro, no Hospital Gastro Salustiano, de onde ela recebeu alta antes de surgirem as manchas. Ao g1, o diretor técnico da unidade disse que não houve nada anormal na evolução do caso e que não tiveram intercorrências no procedimento.


A família registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil, que informou que instaurou um inquérito na 1ª Delegacia Distrital (DP) de Goiânia para apuração dos fatos.

34 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page