top of page

Pezzolano, Pepa e Zé Ricardo: novo técnico do Cruzeiro precisa superar números do trio

Globo Esporte


O ano de 2023 acabará com o Cruzeiro sob comando do quarto técnico diferente. O clube está no mercado em busca do profissional para as rodadas finais do Brasileiro, mas precisa olhar também para os números dos três que passaram pela Toca no ano. Nenhum, na temporada, conseguiu superar 40% de aproveitamento. E, para salvar a equipe, o novo comandante precisará bater esse número.

Isso porque são necessários ao menos 45 pontos para escapar (podendo subir essa margem). O Cruzeiro, que soma 37, necessita, então, de mais oito, em 18 a serem disputados. Ou seja, 44% de aproveitamento.

O ano começou com Paulo Pezzolano, mantido no cargo após conseguir sucesso em 2022, conduzindo o time de volta à elite nacional com a conquista da Série B. Foi o homem de confiança da diretoria no processo de reformulação do grupo, mas não conseguiu resultados no Campeonato Mineiro.

O uruguaio, que teve 66% de aproveitamento em 2022, conseguiu apenas três vitórias no Estadual de 2023. Ainda acumulou três empates e quatro derrotas, deixando o clube, em comum acordo, após aproveitamento de 40% no início da temporada.

A saída de Pezzolano foi definida entre as partes ainda com o Mineiro em andamento, apesar de ser concretizada no fim da competição. A diretoria trabalhou por quase dois meses em busca do substituto, e a escolha foi por Pepa, que assumiu a equipe três semanas antes do Brasileirão.

O início do português foi bom. Conseguiu quatro vitórias nas seis primeiras rodadas, além de classificar o time às oitavas de final da Copa do Brasil. Mas, depois a oscilação pesou. Conquistou apenas mais três triunfos nos 17 jogos seguintes, sendo demitido após cinco meses de trabalho. Totalizou 25 jogos e aproveitamento de 38,6%.

O Cruzeiro ficou uma semana sem treinador, sendo comandado interinamente por Fernando Seabra diante do Bragantino, até a escolha de Zé Ricardo, que aconteceu em meio a algumas negativas ao clube no mercado. O treinador pegou o time em queda na tabela do Brasileiro, mas ainda em 12º, a quatro pontos da zona de rebaixamento.

Zé Ricardo conseguiu três vitórias, dois empates e cinco derrotas em dez partidas. O aproveitamento mais baixo entre os técnicos do Cruzeiro no ano: 36,6%. Deixa o time com dois jogos a menos que boa parte dos rivais na luta contra o rebaixamento, mas no Z-4, o que pode mudar diante do Fortaleza, no final de semana.

5 visualizações0 comentário
bottom of page