top of page

Pastor Davi Passamani foi preso após mulher denunciar ter sido vítima de crime sexual

Advogado informou que prisão do pastor faz parte de ‘conspirações para destruir sua imagem’. No fim de 2023, vítima disse que o pastor ligou para ela por chamada de vídeo e se masturbou.




G1-Goiás

Mulher denuncia ter sido importunada sexualmente pelo pastor Davi Passamani, em Goiânia — Foto: Reprodução/Redes Sociais



O pastor Davi Passamani, preso em Goiânia, começou a ser investigado após duas denúncias de crimes sexuais. Uma das vítimas denunciou Passamani no fim de 2023 e prints mostram a conversa entre o religioso e a fiel. Segundo a defesa do religioso, a prisão está relacionada a este caso.


Passamani foi preso quando chegava para participar de um louvor no Jardim Goiás, na capital. A informação foi confirmada pela defesa do pastor, que argumenta que a prisão faz parte de "conspirações para destruir sua imagem"


Em dezembro de 2023, a vítima disse que, primeiramente, o pastor mandou uma mensagem de texto perguntando se ela estava bem. A mulher respondeu que sim e agradeceu Davi pelas orações que ele fez a ela em momento anterior.


Segundo a vítima, o pastor perguntou sobre o namorado dela e descobriu que a relação havia chegado ao fim. A partir disso, perguntou se podia confiar na vítima para fazer algumas confissões. Ela disse que sim e ele passou a narrar uma fantasia erótica que havia imaginado com ela.


Na sequência, ligou para a mulher por chamada de vídeo e mostrou o pênis, conforme o que ela narra na ocorrência policial. Depois, desligou a câmera e, apenas por áudio, passou a se masturbar. A vítima narra que o pastor desligou a ligação e continuou mandando mensagens, mas ela não respondeu mais.


Passamani foi preso por agentes da Delegacia Estadual de Atendimento Especializado à Mulher suspeito de crimes sexuais na noite de quinta-feira (4). A última vítima registrou boletim de ocorrência em 20 de dezembro de 2023, relatando que o líder religioso mandou mensagens falando sobre sexo e chegou a descrever fantasias eróticas.


O que diz a defesa do pastor?


A prisão do pastor Davi Passamani faz parte de "conspirações para destruir sua imagem", segundo o advogado Leandro Silva, que atua na defesa do religioso. O advogado informou que em um "momento estratégico" seus conspiradores serão representados e terão os nomes divulgados.


"Tudo não passa de uma conspiração para destruição de sua imagem e investida ilegítima de seu patrimônio, ruína financeira, bem como o impedimento de qualquer prática religiosa", argumentou o advogado.


A defesa afirmou ainda que foi informada verbalmente pela polícia que o motivo da prisão seria a presença de Passamani em louvores, porque isso representaria risco à sociedade e ocorrência de possíveis novas vítimas. O advogado detalhou que o inquérito policial de 2023 relacionado à prisão tem informações “vazias, lacunosas e genéricas”.


"Embora esgotado o prazo de 30 dias para a conclusão [do inquérito], a autoridade policial foi omissa e não o concluiu, provavelmente, aguardando o momento oportuno para o espetáculo público [...] Ressalte-se que Davi Passamani nunca foi condenado criminalmente por tipo penal de assédio sexual e a defesa nega tais acusações", completa a nota da defesa.


O advogado informou ainda que desconhece ordem judicial que impeça Passamani de exercer a prática religiosa e tomará providências para a soltura

272 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page