top of page

Parente é preso suspeito de matar auditor fiscal e a mãe dele para roubar família, em Goiânia

Corpos foram retirados de apartamento em cadeira de rodas e abandonados em outras cidades. Segundo a polícia, homem teve ajuda da esposa e do filho no crime.


G1-Goiás

José Eterno de Andrade Filho, suspeito de matar tia e primo da esposa para pagar dívida — Foto: Reprodução/TV Anhanguera


Um homem foi preso na madrugada desta sexta-feira (27) suspeito de matar um auditor fiscal aposentado e a mãe dele, de 85 anos, em um prédio de Goiânia. Segundo a Polícia Civil, ele teve ajuda da esposa, que era sobrinha da idosa, e do filho para cometer o crime. O suspeito foi encontrado dentro do apartamento das vítimas.


As vítimas são Carlos Alberto Barbosa, de 64 anos, e a mãe, Sebastiana Aparecida Barbosa. O crime começou a ser descoberto após o cadáver da idosa ser encontrado abandonado às margens da BR-153, em Professor Jamil, no sul de Goiás.


José Eterno de Andrade Filho confessou o crime ao ser preso e explicou que tudo começou no dia 15 de janeiro. Ele, a esposa e o filho chegaram à casa das vítimas como se fosse uma visita habitual. No dia seguinte, prenderam Carlos em um dos cômodos. Já Sebastiana, que era cadeirante, seguiu no quarto dela.


No dia 19, o auditor fiscal foi morto. Ele foi colocado em uma cadeira de rodas, tirado do prédio e colocado dentro do seu carro. O suspeito disse que o corpo foi abandonado na divisa de Goiás com Minas Gerais. Ele ainda não foi encontrado.


Já no dia 25, Sebastiana foi morta. O corpo dela também foi retirado na cadeira de roda, colocado em um carro e abandonado em Professor Jamil. O cadáver foi encontrado na quinta-feira (26), com sinais de violência.


Após o corpo ser encontrado, a polícia começou o trabalho de identificação e procurar os suspeitos. A sobrinha e o filho dela foram presos em Minas Gerais usando o carro de uma das vítimas.


Depois dessa prisão, as polícias Civil e Militar foram à casa da vítima e conseguiram prender José Eterno.


Segundo as investigações, foram roubados o carro, joias e dinheiro. O crime teria acontecido devido a dívidas que Luciene, sobrinha e prima das vítimas, tinha com agiotas.


Os três também são suspeitos de matar uma terceira mulher, também parente deles, em Minas Gerais. O corpo dessa possível vítima ainda não foi localizado.

47 visualizações0 comentário

Commenti


bottom of page