top of page

Onda de calor termina neste domingo, mas semana deve ser quente e termômetros podem chegar aos 40°C

Onda de calor atinge 15 estados e o Distrito Federal e termina às 19h deste domingo (17). No entanto, com a chegada do verão, máximas não devem baixar ao longo da semana.



G1

Máxima em São Paulo deve chegar aos 37°C — Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO



A onda de calor que atinge 15 estados e o Distrito Federal deve terminar neste domingo (17). Porém, os dias quentes não vão ter trégua e continuam ao longo da semana até a chegada do verão com máximas podendo chegar aos 40°C.


Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a onda de calor atinge os estados de Tocantins, Rondônia, Maranhão, Piauí, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso. Além do Distrito Federal.


O termo "onda de calor" é usado quando a temperatura permanece cinco graus celsius acima da média por um período entre três e cinco dias.


Pico de calor neste domingo


O dia mais quente do fenômeno vai ser registrado neste domingo. Isso ocorre porque as máximas foram subindo gradativamente desde a quinta-feira (14), quando a onda de calor começou, sem uma trégua para baixar as máximas.


Os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul devem registrar as maiores máximas. Em Cuiabá (MT) a máxima prevista é de 42°C e em Campo Grande (MS) a previsão é de 40°C.


No Sudeste, no Rio de Janeiro, a máxima deve chegar aos 37°C neste domingo. Já em São Paulo, a previsão é de 34°C.


A onda acaba, mas o calor continua


Segundo o Inmet, a onda de calor termina às 19h deste domingo (17), mas as máximas seguem em alta na maior parte do país ao longo da semana.


Isso acontece porque depois de dias tão quentes com o fenômeno e sem chuva ou um evento que derrube as máximas, elas continuam intensas.


A previsão é de que em boa parte do país, os termômetros possam chegar até os 40°C. As regiões afetadas são Centro-Oeste, Norte, interior do Nordeste, Minas Gerais e São Paulo.



Chegada do verão


Outro fator importante para as temperaturas seguirem altas é a chegada do verão, que ocorre nesta sexta-feira (22). A estação deve ser a mais quente da história, segundo meteorologistas.


O ano de 2023 foi de extremos, com os últimos seis meses do ano (de julho a novembro) tendo recorde de temperaturas. O verão chega em meio a essas condições e deve consolidar a previsão dos especialistas, de que o ano foi o mais quente da história.

128 visualizações0 comentário
bottom of page