top of page

Motorista suspeito de dirigir bêbado e matar casal atropelado é solto após pagar fiança de R$ 85 mil

Justiça entendeu que o caso se trata de um homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Um adolescente ficou ferido no acidente de trânsito.





G1-Goiás

Casal morre após acidente com motorista bêbado em rodovia de Goiás — Foto: Reprodução/Polícia Militar



O motorista, de 33 anos, que havia sido preso suspeito de dirigir bêbado e matar um casal, além de ferir um adolescente em um acidente de trânsito, foi solto pela Justiça após pagar uma fiança de R$ 85 mil. A colisão entre os dois carros de passeio aconteceu no último domingo (3), na GO-174, entre Rio Verde e Montividiu, no Sudoeste goiano.


De acordo com a Polícia Militar (PM), Hygor Emrich Leão tentou fazer uma ultrapassagem, entrou na contramão e bateu de frente com o carro das vítimas, matando o motorista de 50 anos e a passageira de 54 no local. O adolescente de 15 anos, que estava no banco de trás, ficou ferido e foi levado em estado grave ao Hospital Municipal Universitário (HMU) de Rio Verde.


Segundo os militares, o teste do bafômetro foi feito no condutor, que apresentava sinais de embriaguez. O resultado foi de 0,69 miligramas de álcool por litro de ar expelido, o que é considerado crime.


Liberdade


De acordo com o delegado responsável pelo caso, Adelson Candeo, Hygor havia sido autuado por homicídio doloso, quando o indivíduo não quer a morte da vítima, mas assume o risco de produzir o resultado, especialmente por estar embriagado. Contudo, a juíza entendeu que o caso se trata de um homicídio culposo, quando não há intenção de matar.


“A lei entende que nem todo homicídio praticado por motorista embriagado é doloso”, citou o investigador.

Adelson explicou que a pena irá depender do entendimento ao final do inquérito e depois diante do Ministério Público de Goiás (MPGO).


“Se ele for denunciado, processado e julgado por homicídio doloso a pena é de até 20 anos. Se for por homicídio culposo, a pena é de até oito anos”, acrescentou.

A decisão para que ele responda em liberdade ocorreu durante a audiência de custódia realizada nesta terça-feira (5), que determinou ainda a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do motorista.


Em nota, a defesa do motorista, composta pelos advogados Alessandro Gil Moares e Danilo Marques, informou que “não irá se manifestar sobre o andamento ou quaisquer detalhes relacionados ao processo em curso”.


166 visualizações0 comentário

Yorumlar


bottom of page