top of page

Ministério da Justiça cria canal de denúncias para prevenir ataques a escolas

Em menos de dez dias, o Brasil enfrentou dois ataques a instituições de ensino. Cinco pessoas (quatro alunos e uma professora) morreram


Mais Goiás

Ataque em creche de Blumenau foi o segundo ataque executado em instituição de ensino em 10 dias (Foto: reprodução)


O Ministério da Justiça e Segurança Pública anunciou nesta sexta-feira (7) a criação de um canal exclusivo para receber denúncias sobre suspeitas de ataques a instituições de ensino.


A criação da plataforma para denúncias é mais uma iniciativa da Operação Escola Segura que busca, em parceria com os estados, estabelecer ações preventivas para garantir a segurança em instituições de ensino em todo o país após ataques com mortes em duas escolas.


O serviço será oferecido em parceria com a SaferNet Brasil, uma ONG que atua na defesa de direitos humanos na internet.


Desde 2006, ela oferece um serviço online para denúncias de conteúdo ilegal ou prejudicial na rede. A organização atua como um canal direto entre os usuários da internet e as autoridades, oferecendo um ambiente seguro e confidencial para o envio das denúncias.


O canal exclusivo dedicado a riscos em escolas vai permitir uma investigação mais rápida e eficiente das informações.


Segundo o ministério, os dados serão analisados pelas equipes do Ciberlab/ Diopi (Laboratório de Operações Cibernéticas da Diretoria de Operações Integradas e Inteligência). O grupo dessa área agora conta com 50 policiais para atuar no assessoramento de investigações sobre crimes virtuais no país.


Com os crescentes casos de violência em centros de ensino o Ciberlab intensificou ações preventivas de ataque às escolas e creches em todo o país, produzindo relatórios que são encaminhados às polícias estaduais.


A meta é que, nos próximos dias, se dediquem, em regime de plantão 24 horas, ao monitoramento das ameaças contra escolas.


O formulário para denúncias já está disponível em www.mj.gov.br/escolasegura. Todos os conteúdos enviados serão mantidos sob sigilo.


Em menos de dez dias, o Brasil enfrentou dois ataques a instituições de ensino. Cinco pessoas (quatro alunos e uma professora) morreram.


*Por Alexa Salomão/Folhapress

24 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page