top of page

Homem é preso suspeito de matar mulher com quase 20 facadas e golpe de enxada após ela se recusar a fazer sexo com ele

Delegado destacou que o homem agiu com extrema brutalidade e violência. Ele já tinha agredido a vítima no ano passado, mas ela não deu continuidade na denúncia.




G1-Goiás

Jéssica Martins de Souza, de 31 anos — Foto: Divulgação/Polícia Civil



A Polícia Civil prendeu um homem suspeito de matar uma mulher com 18 facadas e um golpe de enxada na cabeça, em Rio Verde, no sudoeste goiano. Segundo as investigações, o crime aconteceu depois que Jéssica Martins de Souza, de 31 anos, se recusou a fazer sexo com o suspeito.


A prisão foi realizada no domingo (18), próximo a um posto de combustíveis na BR-452, nas proximidades de onde o crime ocorreu. De acordo com a polícia, o suspeito era conhecido de Jéssica e do marido dela e tinha o costume de visitar a residência do casal.


No dia 1º de fevereiro, o suspeito se aproveitou que a mulher estava sozinha para tentar forçá-la a praticar sexo com ele. Mas como ela se recusou, ele acabou a agredindo e causando sua morte.


O delegado Adelson Candeo, responsável pelo caso, destacou que o homem agiu com extrema brutalidade e violência.

“O corpo foi encontrado por um pessoal que trabalha próximo ao local e que via a mulher diariamente. Naquela data não a viram, chamaram ela e, como ela não respondeu, foram até a casa e a encontraram caída em meio ao sangue”, detalhou o delegado Adelson Candeo.

O suspeito tem um histórico violento e também faz uso de drogas. Segundo o delegado, em agosto do ano passado, ele já tinha agredido Jéssica ao ponto de quase causar a morte dela. Além disso, ainda deu duas facadas no peito de uma das testemunhas, que preferiu não procurar a delegacia.


“Nesse dia, ele só não a matou porque o marido dela o impediu, mas atualmente o marido dela está preso e ela morava sozinha na casa”, explicou o delegado.

O caso ainda chegou a ser encaminhado para a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), mas a vítima optou por não continuar com a denúncia.


Jéssica também não tinha medida protetiva contra o suspeito. Segundo o delegado, na época, ela informou que não tinha nenhuma relação íntima de afeto com ele e a ocorrência foi descontinuada da delegacia.


No mês passado, o mesmo homem tentou matar o ex-patrão, porque exigia que uma mulher que trabalhava no local ficasse com ele. Ele foi impedido, mas depois retornou ao local e incendiou a oficina do patrão.


Mesmo com tudo isso, segundo o delegado, o patrão preferiu não procurar a delegacia por medo.


263 visualizações0 comentário

Komentarai


bottom of page