top of page

Guerra no Oriente Médio: 298 mortos confirmados, sendo 198 em Gaza e 100 em Israel

Conflitos se intensificam após ofensiva do grupo palestino Hamas


Mais Goiás

Guerra em Israel (Foto: Reprodução/Governo de Israel)


O número de mortos no conflito iniciado na manhã de sábado entre Israel e Gaza após a ofensiva do grupo palestino Hamas, que lançou foguetes e invadiu o território israelense, é de 298. De acordo com autoridades médicas da Faixa de Gaza, em informação dada a agências de notícias, foram confirmadas 198 vítimas fatais no enclave palestino.


O Ministério da Saúde israelense informou a imprensa local que 100 cidadãos israelenses foram vitimados de forma fatal. Tel Aviv informa ainda que 900 pessoas ficaram feridas no país e os médicos em Gaza dizem que 1.610 palestinos estão sendo atendidos em hospitais.


Um jornalista da AFP viu oito corpos no necrotério do hospital Al Shifa, em Gaza, e outro testemunhou o funeral de uma nona pessoa morta em Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza.

Após os ataques, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu disse que seu país está em guerra contra o Hamas:


— Estamos em guerra e vamos vencer .O inimigo pagará um preço que nunca conheceu — diz Netanyahu em uma mensagem de vídeo divulgada nas redes sociais.


O primeiro-ministro classificou o ataque surpresa do Hamas como “criminoso” e anunciou ter ordenado “uma ampla mobilização” de reservistas.


“Decidimos pôr fim a todos os crimes da ocupação (de Israel), o seu tempo de violência sem responsabilização acabou”, declarou o grupo. “Anunciamos a Operação Al-Aqsa Deluge e disparamos, no primeiro ataque de 20 minutos, mais de 5 mil foguetes.”


“O Hamas cometeu um erro grave esta manhã e lançou uma guerra contra o Estado de Israel”, disse o ministro da Defesa Yoav Gallant num comunicado, acrescentando que as tropas israenses “estão a lutar contra o inimigo”.


Os foguetes foram lançados de vários locais de Gaza a partir das 06h30 (03h30 GMT) e continuaram quase meia hora depois, indicou o repórter da AFP. “Os residentes na área em redor da Faixa de Gaza foram convidados a permanecer nas suas casas”, disse o exército israelense num comunicado anunciando a infiltração.


As forças armadas israelenses relataram a ativação de sirenes no sul do país, enquanto a polícia pedia ao público que permanecesse perto de abrigos antiaéreos. Israel mantém um duro bloqueio contra a Faixa de Gaza desde que o grupo militante Hamas assumiu o poder em 2007. Desde então, ocorreram vários conflitos entre militantes palestinos e Israel.


Centenas de palestinos da Faixa de Gaza abandonaram este sábado as suas casas para se afastarem das zonas fronteiriças com Israel, depois da ofensiva do Hamas ter sido lançada, confirmou um repórter da AFP. Os bombardeios aéreos de Israel, por sua vez, causaram a maioria das mortes no lado palestino, informou ao New York Times Yousef Abu al-Rish, principal autoridade de Saúde em Gaza.

27 visualizações0 comentário
bottom of page