top of page

Goiás inicia sequenciamentos genéticos para detecção do câncer de mama e ovário

Iniciativa inovadora pelo SUS promete transformar a abordagem da saúde da mulher no estado



Olha Goiás




Na última semana, o Centro de Genética Humana (GEF) da Universidade Federal de Goiás (UFG) alcançou um marco significativo ao realizar os primeiros sequenciamentos genéticos destinados à detecção precoce das mutações associadas ao câncer de mama e ovário.


Esta iniciativa, pioneira no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), foi formalizada em outubro de 2023, por meio do convênio "Goiás Todo Rosa", assinado pelo governador Ronaldo Caiado e pela reitora da UFG, Angelita Pereira de Lima.


A Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO) será a responsável pelo repasse de recursos, conforme estabelecido pela lei 20.707/2020, destinados à realização do sequenciamento dos genes BRCA1 e BRCA2.


Essa medida visa atender pacientes com câncer de mama na rede estadual de saúde, oferecendo uma perspectiva crucial para o diagnóstico precoce e, consequentemente, a preservação de vidas.


O secretário estadual da Saúde, Sérgio Vencio, enfatiza a importância dessa parceria ao afirmar: "A previsão da parceria é de 60 meses, em um trabalho muito importante para a saúde da mulher, pois o diagnóstico precoce do câncer salva vidas". Ele destaca que a estrutura de atendimento foi cuidadosamente planejada, abrangendo desde a primeira consulta até o rastreamento de familiares das pacientes.


Expansão do projeto pelo estado para combater o câncer de mama


Inicialmente, o projeto será implementado na Policlínica de Quirinópolis, na região Sudoeste, expandindo-se em seguida para a região Centro-Norte, contemplando localidades como Goianésia e Uruaçu. A visão a longo prazo é garantir que mulheres em todo o estado, independentemente de sua predisposição ao câncer, tenham acesso à testagem genética.


Em 2021, a taxa de mortalidade por câncer de mama em Goiás foi de 13,62/100.000 mulheres, resultando em 1.993 vidas perdidas entre 2020 e 2023. No mesmo período, foram diagnosticados 5.349 casos de câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS), evidenciando a urgência dessa iniciativa.


Projeto Goiás Todo Rosa


O projeto oferece atendimento às pacientes suspeitas da doença na Atenção Primária, seguido por consulta com mastologista na Policlínica de Quirinópolis. Profissionais capacitados identificam o potencial de mulheres com mutação genética, encaminhando-as para o laboratório da UFG, em Goiânia, onde será realizado o sequenciamento genético.


A gerente de Atenção Especializada da SES, Camila Brum, explica: "A UFG também foi inserida na rede SUS, exclusivamente para o projeto Goiás Todo Rosa, permitindo que a paciente tenha oportunidade de fazer a testagem genética".


Em caso positivo, a paciente convoca os familiares para realizarem o teste de sequenciamento genético gratuitamente, a partir de uma amostra de sangue, identificando possíveis predisposições à doença.


Diagnóstico e tratamento personalizados para uma prevenção abrangente


O exame analisa todas as bases presentes nos genes BRCA1 e BRCA2, possibilitando a identificação de mutações associadas ao câncer de mama e ovário. Com esse diagnóstico, é possível estabelecer uma rotina personalizada de rastreio de câncer, aumentando as chances de cura e melhorando a qualidade de vida do paciente.


A mastologista e professora da Faculdade de Medicina da UFG, Rosemar Macedo Sousa Rahal, destaca a importância dessa iniciativa ao oferecer prevenção não apenas para a paciente, mas também para seus familiares, abrindo caminho para um combate mais eficaz ao câncer hereditário.

13 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page