top of page

Futuro de Cássio: Corinthians tem dia decisivo para tentar convencer goleiro a permanecer no clube

Com proposta do Cruzeiro, ídolo pediu para sair e terá reunião com presidente Augusto Melo nesta quarta-feira; ele tem contrato com o Timão até o fim desta temporada


GE

Cássio no banco de reservas em Corinthians x Argentinos Juniors — Foto: Ettore Chiereguini/AGIF



A quarta-feira deve ser decisiva para a definição do futuro do goleiro Cássio. Está previsto um encontro entre o ídolo e a diretoria do Corinthians, que tenta convencê-lo a permanecer no clube.


Cássio e o presidente Augusto Melo devem conversar no início da tarde. Na segunda-feira, empresários do goleiro comunicaram ao Timão que ele tem o desejo de sair, mas a cúpula alvinegra tenta uma última cartada para manter o ídolo.


O jogador recebeu uma proposta de três anos de contrato do Cruzeiro e entende que mudar de ares é o melhor para ele e para o clube no momento.


Representantes do goleiro estão em São Paulo e, por sinal, estiveram terça-feira na Neo Química Arena, onde o Timão goleou o Argentinos Juniors por 4 a 0, pela Sul-Americana.


Além da direção, Cássio tem respaldo da comissão técnica de António Oliveira, que deseja a permanência. Os profissionais que trabalham com o treinador elogiam a postura do goleiro além do trabalho de campo, em relação a diferentes níveis de hierarquia no CT.


O camisa 12 "impõe respeito", segundo relatos de pessoas da comissão técnica. Essa característica natural de liderança impacta tanto nos mais jovens do grupo quanto a diretores e funcionários.


Como líder do elenco, Cássio acaba sendo uma espécie de escudo para os demais em momentos críticos - o que tem sido rotina nas últimas temporadas. Com a saída de outros líderes recentes, como Gil e Renato Augusto, ele passou a ser ainda mais exigido em 2024.


Isso e outros fatores passaram a desgastar o goleiro, que chegou a revelar recentemente ter buscado ajuda psicológica.


Atualmente com 36 anos, o goleiro pensa em jogar mais três ou quatro temporadas e acredita que o fim da relação com o Corinthians seria o melhor para ambas as partes.


Na opinião de Cássio, a presença dele na reserva gera uma pressão extra sobre Carlos Miguel. Ele entende que "empurrar" tal situação até dezembro geraria ainda mais desgaste.


Segundo atleta que mais defendeu o Corinthians, com 712 partidas, atrás apenas de Wladimir, Cássio conquistou quatro Paulistas (2013, 2017, 2018 e 2019), dois Brasileiros (2015 e 2017), uma Libertadores (2012), um Mundial (2012) e uma Recopa Sul-Americana (2013) pelo Timão.

6 visualizações0 comentário

Komentarai


bottom of page