top of page

Frentista sofre ataque racista de gerente de posto após abastecer com combustível errado

O gerente do posto, em Rio Verde, teria feito as ofensas racistas e ainda é acusado de não fornecer o equipamento adequado para o funcionário corrigir o erro


Olha Goiás


Um frentista que trabalha em um posto de combustíveis de Rio Verde denunciou ter sido vítima de racismo após o gerente do estabelecimento xingá-lo de “preto”. De acordo com a Polícia Civil (PC) as ofensas teriam sido feitas em razão de o funcionário ter errado o combustível ao abastecer o veículo de um cliente.

O caso está sob responsabilidade da delegada Taísa Antonello, que relatou que o crime ocorreu em maio, porém a denúncia foi feita nesta sexta-feira, 2 de junho.


A investigadora explica que o gerente teria usado ofensas referentes a cor da pele da vítima após a vítima abastecer um veículo com o combustível errado. “Era para colocar gasolina e ele colocou diesel”, conta ela. O frentista disse na denúncia que foi chamado de “preto”.


Além disso, está sendo investigado que o gerente do posto não teria permitido que o frentista corrigisse o erro. “Ele pediu uma máquina para o combustível errado do veículo, porém, o chefe dele se recusou a dar. Então, ele teve que tirar sugando com uma mangueira, o que, segundo ele, demorou horas”, relata a delegada.


Taíse ainda conta que além do racismo, o gerente está sendo investigado por ter fornecido o equipamento necessário para o trabalho do funcionário. Ninguém foi preto até o momento, e os envolvidos devem ser envolvidos nesta segunda-feira (4).

31 visualizações0 comentário

Komentarze


bottom of page