top of page

Doméstica que morreu após ser esfaqueada pelo ex já tinha sido agredida outras vezes

G1


A doméstica que morreu após ser esfaqueada pelo ex-marido no meio da rua já tinha sofrido outras agressões, segundo a filha dela, a operadora de caixa Maria Eduarda Teixeira Antunes, de 19 anos. Ela conta que o ex-padrasto era muito ciumento e que chegou a pedir para a mãe se separar dele. Um vídeo mostra quando Alana Mata Ferreira é esfaqueada no meio da rua, em Goiânia.

“Desde o começo ele já apresentava comportamento violento. Ela nunca registrou boletim de ocorrências contra ele. Eu já cheguei a conversar com ela várias e várias vezes para se separar dele, mas ela não queria porque ela gostava dele”, disse.

O g1 não conseguiu identificar a defesa do suspeito até a última atualização dessa reportagem.

Alana foi casada durante seis anos com o suspeito, mas estava separada há quatro anos. Segundo a família, ele não aceitava a separação. Maria Eduarda contou que o ex-padrasto sempre teve muito ciúmes da esposa.

“Ele tinha ciúmes dela, ciúmes até das filhas com ela, ciúmes de várias coisinhas e besteiras”, contou.

A filha contou que Alana decidiu se separar justamente pelas brigas constantes e comportamento agressivo do marido.

“Eram muitas brigas, eu pedia para ela se separar. Teve um tempo que ele brigou comigo e com minha irmã, ele bateu na gente. Eu pedi para ela tirar ele de casa”, completou Maria Eduarda.

A agressão ocorreu na segunda-feira (1º), no Jardim Vitória II. Conforme o boletim de ocorrência, a facada atingiu a mulher na costela. As agressões começaram dentro da casa da doméstica e ela chegou a correr para a rua para pedir ajuda.

A vítima foi socorrida e levada para o Hospital de Urgências de Goiás (Hugo), mas teve duas paradas cardíacas e não resistiu.

2 visualizações0 comentário
bottom of page