top of page

Disputa pela presidência da Assembleia Legislativa começa acirrada

Quatro nomes estão brigando para ver pelo comando do Legislativo goianos pelos próximos dois anos

Mais Goiás

Mal esfriou o resultado das urnas e as articulações para a Presidência da Assembleia Legislativa já estão pegando fogo. A coluna apurou que quatro nomes estão brigando para ver pelo comando do Legislativo goianos pelos próximos dois anos: o atual líder do governo, Bruno Peixoto (UB), se credenciou como um nome forte pela votação recorde (73.692 votos) – a maior da história da Assembleia – e por ter feito um trabalho de articulação pela aprovação das matérias do governo.


Também está na briga Virmondes Cruvinel (UB), que tem o apoio do atual presidente Lissauer Vieira (PSD) e do ex-presidente José Vitti. Mas o seu histórico durante esse mandato pode atrapalhar suas pretensões: no início do atual mandato, Virmondes se absteve em votações importantes para a administração caiadista. O vice-governador Lincoln Tejota (UB) também está na briga.


Além das articulações de seu pai, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Sebastião Tejota, Lincoln também tem, segundo informações palacianas, a apreço da primeira-dama Gracinha Caiado. Por último, mas com grande relevância, está Renato de Castro (UB), que tem confiança incontestável do governador Ronaldo Caiado (UB).


Representante da Igreja Videira, Cairo Salim também se movimenta para tentar a presidência da Casa.

5 visualizações0 comentário
bottom of page