top of page

Diretor do Santos cita caso Vini Jr. e cobra punição da Conmebol por racismo no Chile

Globo Esporte


Paulo Roberto Falcão, coordenador esportivo do Santos, cobrou uma postura severa da Conmebol na investigação da denúncia apresentada pelo Peixe sobre as injúrias raciais sofridas por Ângelo e Joaquim durante a partida contra o Audax Italiano, no Chile, disputada na última quarta-feira.

– Manifestação triste de racismo e que precisa ser combatida seriamente. Não é possível que a gente tenha tido no mundo a repercussão que tivemos com o caso do Vini Jr. e hoje as pessoas repetem isso aqui. Tem que ter punição – afirmou o dirigente do Santos em entrevista ao canal "De olho no Peixe", em Santiago.

Aos 32 minutos do segundo tempo, Ângelo foi substituído e deu lugar a Patati em campo. Quando se encaminhava ao banco de reservas, o menino da Vila viu e ouviu as manifestações criminosas vinda das arquibancadas.

Com Joaquim, o racismo aconteceu já fora do campo em um espaço do 4º andar do estádio La Florida, palco da partida. Segundo o Santos, o local estava reservado apenas ao staff do clube brasileiros, mas torcedores do Audax Italiano tiveram acesso.

Após ouvir os relatos de seus atletas, a diretoria do Peixe procurou o delegado da partida para registrar a ocorrência em súmula e agora aguarda um posicionamento formal da Conmebol.

– Isso depois de terem feito o que fizeram com o Vinicius Jr. lá (na Espanha). Para você ver que as coisas não param se não tiver medidas sérias. Alguém tem que parar com isso, depende muito das instituições, a gente reclama, a gente lamenta – desabafou Falcão.

4 visualizações0 comentário
bottom of page