top of page

Dengue em Goiás: mortes em 2024 superam total do ano passado

Secretaria de Saúde alerta para aumento de casos e baixa cobertura vacinal



Olha Goiás




O número de mortes confirmadas por dengue em Goiás em 2024 já ultrapassou o total de óbitos registrado em todo o ano anterior. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), de 1º de janeiro até esta quinta-feira (21), foram contabilizadas 63 mortes pela doença, em comparação com 54 mortes em todo o ano passado.


O Comitê Estadual de Investigação de Óbito Suspeito por Arboviroses revelou que 58,8% das mortes por dengue referem-se ao sorotipo 1 da doença, enquanto 40,8% estão ligadas ao sorotipo 2, que é apontado como o mais grave.


Além do aumento nas mortes, o número de solicitações de internação para tratamento também está em ascensão. Em janeiro, eram registradas em média dez solicitações de internações por dia. Em fevereiro, esse número saltou para 35, e na semana passada chegou a 80 solicitações. Atualmente, 123 pacientes estão internados com sintomas de dengue.


Luciano de Moura, subsecretário de Vigilância e Atenção Integral à Saúde da SES, enfatizou a importância de as pessoas com sinais da doença procurarem atendimento médico, destacando a necessidade de ingestão de líquidos e o diagnóstico precoce.


A análise dos dados da SES revela que duas das 63 mortes por dengue ocorreram em casa, evidenciando que algumas pessoas não procuraram assistência médica ou subestimaram os sintomas.


Moura alertou para os sinais de agravamento da doença, como o surgimento de manchas pelo corpo, coceira, náusea, tontura e sangramento nas gengivas, que costumam aparecer por volta do quinto dia.


Apesar do aumento nos casos de dengue, a cobertura vacinal em Goiás continua baixa, especialmente entre crianças e adolescentes. Apenas 41,7% da população de 10 a 14 anos nos 134 municípios beneficiados com a vacinação foram imunizadas.


A SES tem implementado Gabinetes de Combate à Dengue em todo o estado como parte de sua estratégia de monitoramento e controle da doença. Esses gabinetes, instalados em 207 municípios goianos, são responsáveis pelo registro de casos, tratamento, fornecimento de insumos e medicamentos, além da atualização das equipes profissionais.

181 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page