top of page

Delegado saca pistola e provoca tumulto em boate de Goiânia: "quem vou ter que peitar aqui?"

Estabelecimento do Setor Bueno diz ter permitido entrada do policial com arma por falta de cofre para armazená-la


Mais Goiás

Delegado teria sacado pistola após bate-boca com frequentadores (Foto: divulgação/PM)


Um delegado da Polícia Civil de Goiás foi filmado apontando uma pistola e ameaçando frequentadores e seguranças de uma boate em Goiânia. O caso aconteceu na madrugada de sexta-feira (10), em uma casa noturna que fica na Avenida T 7, no Setor Bueno.


De acordo com a ocorrência registrada pela Polícia Militar, dois seguranças que estavam na portaria do estabelecimento entraram na boate após serem informados de que algumas estavam discutindo perto do palco. Quando tentaram apartar a confusão, um dos envolvidos no bate-boca sacou uma pistola e gritou: “Quem eu vou ter que peitar aqui”?


Os seguranças revelaram que muitas pessoas saíram correndo e a banda que se apresentava parou de tocar. Acalmados os ânimos, o homem que estava armado guardou a pistola e se identificou como policial civil. João Paulo Ferreira Mendes, confirmaram os seguranças, de fato é delegado da PC, e atualmente está lotado na Delegacia Estadual de Investigação de Homicidos (DIH).


Quando os PMs chegaram para atender a ocorrência, porém, ele já havia deixado o local. Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil de Goiás informou que o caso está sendo apurado pela Gerência de Correições da corporação.


Sem cofre, boate permitiu que arma ficasse com delegado


Para os PMs que atenderam a ocorrência, os funcionários da casa noturna disseram que quando se cadastrou para entrar, João Paulo se apresentou como policial e informou que estava portando uma pistola municiada. Eles relataram ainda que não acautelaram a arma e permitiram que a mesma ficasse com o delegado, porque a boate não dispunha de cofre em razão de “ter passado por uma reforma recentemente”.


As outras pessoas envolvidas na confusão não registraram a ocorrência, mas um dos seguranças informou aos PMs que irá representar contra o delegado, já que teme por sua integridade. A reportagem do Mais Goiás não conseguiu contato com João Paulo Ferreira Mendes, mas o espaço está aberto, caso este queira se pronunciar.

38 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page