top of page

Corpo de Luana pode demorar cerca de uma semana para ser liberado do IML, diz polícia

Polícia Científica ainda realizará procedimentos de perícia nos próximos dias

Mais Goiás

O corpo da estudante Luana Marcelo Alves, de 12 anos, continua sob os cuidados do Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia. Segundo o órgão, a liberação pode demorar até uma semana, pois a Polícia Científica ainda realizará procedimentos de perícia nos próximos dias. Entre eles, a identificação por meio de DNA para comprovação dos fatos na investigação do crime.


A menina desapareceu na manhã do último domingo (27), após sair de sua casa, no setor Madre Germana II, para ir até a padaria. No momento em que retornava, foi abordada pelo vizinho Reidimar Silva, de 31 anos, que prometeu levá-la em casa de carro, pois precisava acertar algumas dívidas com os pais da vítima.


Reidimar confessou à Polícia Civil que matou Luana estrangulada, após a menina resistir à uma tentativa de estupro. Ele também detalhou ter queimado o corpo dela, enterrado no quintal de casa e tampado a cova com cimento. O investigado revelou que não sabe o motivo que o levou a cometer o crime, mas disse que estava sob efeito de cocaína no momento do assassinato.


De acordo com a Polícia Científica, os resultados da perícia não têm uma previsão exata para ficarem prontos, já que o corpo foi encontrado dois dias depois de carbonizado e enterrado, dificultando os procedimentos de identificação.


Consequentemente, ainda não há informações de velório e enterro de Luana, já que a família espera a liberação do corpo da menina.


Reidimar, que já foi preso pelos crimes de roubo e estupro, agora deve responder por tentativa de estupro, homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Ele permanece preso.

6 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page