top of page

CDE aprova investimentos de R$ 77,3 milhões em propriedades rurais de Goiás

Recursos provenientes do FCO Rural impulsionarão produção de soja, milho e pecuária em 40 municípios goianos


Olha Goiás



Na sua 395ª reunião, realizada na última quinta-feira (30), a Câmara Deliberativa do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE) deu o sinal verde para 61 cartas-consulta, permitindo a captação de R$ 77,3 milhões da linha rural do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO Rural).


Os recursos serão direcionados para propriedades rurais em 40 municípios goianos, com uma contrapartida de R$ 10,5 milhões provenientes dos próprios recursos dos beneficiários. As atividades beneficiadas incluem a produção de soja e milho, bem como a pecuária de corte e leite.

Investimentos

Os municípios de Jataí e Mineiros, no Sudoeste do estado, serão os principais receptores desses investimentos, que se concentrarão especialmente em matrizes, máquinas, implementos agrícolas e correção de solos.


A expectativa é que esses investimentos gerem a criação de 97 empregos diretos, principalmente em propriedades de pequeno e pequeno-médio porte. A superintendente de Produção Rural, Patrícia Honorato, destacou a importância do FCO Rural no impulsionamento do desenvolvimento econômico e social de Goiás.

“Os recursos aprovados, aliados à contrapartida dos proponentes, totalizando mais de R$ 87 milhões em investimentos, têm o potencial de gerar impactos substanciais nas atividades agrícolas, contribuindo não apenas para o fortalecimento dos empreendimentos rurais, mas também para o impulsionamento de toda a economia local”, ressalta Patrícia.

Sobre o FCO


O Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) foi criado pela Constituição Federal de 1988, com regulamentação pela Lei nº 7.827, de 27/09/1989. Sua missão é promover o desenvolvimento econômico e social de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal, por meio do financiamento de atividades produtivas.

Dividido em duas modalidades, FCO Empresarial e FCO Rural, o fundo é abastecido por recursos provenientes de alíquotas de 0,6% do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), além dos retornos dos financiamentos. Produtores rurais, empresas, pessoas físicas e jurídicas, e cooperativas de produção podem pleitear recursos do FCO.

Cabe ressaltar que os números mencionados não incluem projetos na Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride), sendo que a Câmara Deliberativa do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE) analisa propostas de financiamento acima de R$ 500 mil.

9 visualizações0 comentário
bottom of page