top of page

Causa da morte de professora durante atendimento em UPA é investigada; marido agrediu médico

Família denuncia que houve negligência no atendimento. Médico disse que não houve falha no atendimento.




G1-Goiãs

Nathali Haydee, de 36 anos, morreu em Águas Lindas de Goiás — Foto: Reprodução/Redes Sociais



A Polícia Civil investiga a causa da morte da professora Nathali Haydee Cunha durante o atendimento em uma unidade de saúde de Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. A família denuncia que houve negligência por parte do médico Pablo Henrique. O marido da paciente chegou a agredi-lo após saber da morte da esposa. O profissional nega que houve falha no atendimento.


Nathali foi diagnosticada com dengue. Mesmos com um teste dando negativo para a doença, a equipe médica avaliou que ela tinha todos os sintomas e a medicou. Ela foi para casa, mas, dias depois, voltou à Unidade de Pronto Atendimento Mansões Odisseia, onde foi atendida por Pablo Henrique e medicada. Porém, o estado de saúde dela se agravou e ela acabou morrendo.


O delegado Leonardo Chamon disse que já foi aberta uma investigação sobre o caso. “Ouvimos o médico e o marido da paciente sobre a lesão corporal. Agora, precisamos aguardar o laudo que vai apontar a causa da morte para analisar se houve negligência. Se comprovado, o crime será de homicídio culposo”, explicou. O laudo tem o prazo de 30 dias para ficar


A Associação Beneficente Amigos do Hospital (Abah), responsável pela administração da UPA, disse que “o prontuário da paciente Nathali Haydee Cunha Falcão de Melo está sob análise da Comissão de Óbito, que, juntamente com o Núcleo de Segurança do Paciente, estão analisando a assistência prestada durante sua passagem por esta unidade de saúde”.


A associação explicou que a revisão do prontuário faz parte de um processo interno de apuração aberto para entender todo o ocorrido. Além disso, estão sendo revistos todos os processos de atendimentos aos pacientes para tentar melhorar o serviço prestado.


Por fim, a direção da unidade repudiou a agressão ao médico Pablo Henrique e se solidarizou com a família da paciente pela perda.


Agressão


O marido da paciente confessou aos policiais que ficou nervoso com a notícia do óbito da esposa e, por isso, invadiu a sala do médico para agredi-lo.


Um exame de corpo delito constatou que o médico teve um ferimento de três centímetros em uma das pálpebras causada pelos socos.


Os dois foram levados para a Delegacia de Águas Lindas de Goiás, onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) contra Jhader pelo crime de lesão corporal.


215 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page