top of page

Caminhoneiro é sequestrado em Goiás, dopado e acorda em Tocantins

Toda a carga da vítima foi roubada


Mais Goiás

(Foto: Divulgação - PCDF)


Um caminhoneiro de 37 anos, originário do Paraná, foi sequestrado enquanto passava por Goiás e teve sua carga de feijão, avaliada em meio milhão de reais, roubada. O homem foi encontrado dois dias depois no estado do Tocantins, quando procurou a polícia para registrar o boletim de ocorrência.


De acordo com o delegado Hudson Maldonado, da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o caminhoneiro saiu do Paraná com destino à Bahia no dia 21 de maio, transportando 60 toneladas de feijão. Durante sua parada em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital goiana, ele pernoitou do dia 23 para o 24.


Ele, então, acordou por volta das 3h da madrugada do dia 24 para prosseguir a viagem. Contudo, ele foi abordado por dois suspeitos armados quando parou em um posto de gasolina às margens da BR-153, ao perceber que as lanternas de iluminação da carreta estavam com defeito.


Sob ameaças, o caminhoneiro foi obrigado a entrar na cabine do caminhão e deitar de bruços. Os sequestradores questionaram se o veículo possuía rastreador e o motorista confirmou. Em seguida, os criminosos iniciaram uma busca pelo rastreador, porém sem sucesso.


Eles então entraram em contato com um terceiro suspeito para que este trouxesse outro caminhão para desviar a carga sem ser rastreada. Os assaltantes trocaram os veículos e deram comprimidos ao caminhoneiro para que ele dormisse. Quando acordou, ele estava na cidade de Gurupi, no estado do Tocantins. Ao avistar algumas pessoas na estrada, o homem pediu socorro.


A PCDF localizou a carreta roubada, sem a carga, em Sobradinho, no Entorno do Distrito Federal, um dia após o roubo. Segundo o delegado, os suspeitos teriam desengatado a carroceria com a carga do caminhão e a conectaram a outro veículo.


O caso será encaminhado para a Polícia Civil de Goiás (PCGO) na segunda-feira (29), pois o roubo da carga ocorreu em território goiano. Até o momento, não há informações sobre a captura dos suspeitos.

37 visualizações0 comentário
bottom of page