top of page

Brasil vence a Itália e garante vaga nas Olimpíadas de Paris 2024

Em partida tensa, Brasil começa bem, vê Itália crescer, mas se impõe no fim para ir aos Jogos


Globo Esporte

Darlan, da seleção brasileira de vôlei, comemora ponto — Foto: Marcelo de Jesus


O roteiro de superação foi construído a cada jogo. Depois de um início ruim no Pré-Olímpico, o Brasil precisou se reinventar. Não foi fácil, é verdade. Mas, no embalo de um Maracanãzinho lotado, a seleção brasileira venceu um de seus maiores rivais para garantir seu lugar nos Jogos de Paris. Em 3 sets a 2, parciais 25/23, 23/25, 15/25, 25/17 e 15/11, o time da casa carimbou o passaporte rumo a mais uma Olimpíada.


1° set - Brasil segura reação da Itália e sai na frente

Logo no primeiro ponto, a tensão. Ao defender uma pancada de Lucarelli, a Itália viu a bola se aproximar do árbitro, que deu ponto para o Brasil. Os rivais reclamaram, mas sem qualquer mudança. Os italianos tentaram forçar o saque no início do jogo. Mas a mão se mostrou descalibrada. Foram cinco erros logo de cara, dando vantagem para o Brasil: 8/5 e pedido de tempo do lado de lá.


Foi um bom início do Brasil. Depois de mais um erro de saque dos rivais e de dois aces seguidos de Honorato, a seleção abriu 13/8. Os italianos abriram espaço, é verdade. Mas o Brasil teve o mérito de aproveitar. No ataque de Darlan, o time da casa marcou 18/12. A Itália foi buscar. Aos poucos, tirou a diferença e passou a pressionar o passe brasileiro. Chegou a salvar três set points, mas não evitou o quarto, em ataque de Darlan: 25/23.


2° set - Itália vira no fim e leva o set

O Brasil até abriu 3/1. Mas era um jogo mais equilibrado na volta à quadra. A Itália passou à frente e marcou 6/4 em um bloqueio de Michieletto sobre Darlan. Com o placar em 8/5 pouco depois, Renan pediu tempo e colocou Alan na vaga do irmão titular. O momento, porém, era dos italianos. No ataque de Lavia, 11/6 no placar.


Mas o Brasil encostou. No ace de Alan, diminuiu a diferença para dois pontos: 12/10. A Itália, então, pediu tempo. O oposto, porém, seguiu firme no saque. Pouco depois, ao ganhar a disputa na mão de ferro junto à rede, Honorato deixou tudo igual e mostrou os músculos do braço na comemoração. A virada veio com Alan, em uma pancada: 13/12.


O momento era outro. Em um novo ponto de Alan, o Brasil marcou 16/14. Darlan saiu do banco para comemorar com o irmão com uma dançadinha. A Itália pediu tempo. Demorou um pouco, mas os rivais encostaram. No ace de Sanguinetti, 19/18 no placar. O empate veio no ataque de Michieletto, em 22/22. Alan até salvou uma bola com o peito, mas desperdiçou o ataque na sequência. A Itália fechou o set pouco depois, com um bloqueio de Romano sobre Lucarelli: 25/23.


3° set - Itália dispara e vira o jogo

Um ace de Sanguinetti abriu a conta. Naquele início, nenhum dos dois times conseguiu abrir. As seleções alternaram pontos, mas o Brasil passou à frente depois de Alan fechar belo rali, um dos melhores do jogo: 9/8. Mas foi por pouco tempo. A Itália retomou a dianteira e abriu 14/11 com um ataque de Sanguinetti. Renan, então, parou o jogo. Pouco depois, Bruninho voltou à quadra no lugar de Cachopa.


Mas era preciso mais. A Itália seguiu melhor e abriu 17/13. Renan, uma vez mais, parou o jogo. Dois aces seguidos de Michieletto, porém, fizeram os rivais ampliarem para 19/13. Adriano, então, entrou no lugar de Honorato, que havia feito golpe de vista nos dois pontos italianos. Mas a seleção parou de jogar. A diferença subiu para 23/13. Cachopa e Alan voltaram à quadra em uma tentativa derradeira de reação. Não funcionou. No saque para fora do levantador, fim de set: 25/15.


4° set - Brasil se impõe e força tie-break

O Brasil precisava responder de forma firme. E assim o fez. No embalo da torcida, que comprou a volta por cima do time, a seleção disparou. Darlan, com uma pancada no saque, fez o placar marcar 16/8 na conta. A Itália tentou reagir e até conseguiu diminuir a diferença, mas viu o Brasil se impor. Sem ceder espaço para qualquer virada, a equipe da casa fechou em 25/17.


5° set - Brasil se impõe e vai a Paris

Foi um tie-break tenso, como não poderia deixar de ser. O Brasil começou melhor e abriu 5/3. A Itália foi buscar na marra. No bloqueio sobre Honorato, 6/6 no placar. A seleção voltou a se descolar no placar, mas deixou a Itália buscar depois de erro de saque de Darlan. O Maracanãzinho, por alguns momentos, se calou. Mas o Brasil se manteve firme. Bruninho, incansável, corria de um lado para o outro como se fosse um menino. No ataque de Darlan, a seleção abriu 12/10 e viu a Itália pedir tempo. Mas, no ace de Lucarelli, a vaga e a festa: 15/11.

3 visualizações0 comentário

תגובות


bottom of page