top of page

Beneficiários dos programas do Goiás Social devem atualizar CadÚnico

Secretaria de Desenvolvimento Social mantém vários programas sociais por meio do Goiás Social



Jornal Opção

Atualização do CadÚnico garante a permanência nos programas sociais do Governo de Goiás. | Foto: Seds.




O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds), mantém vários programas sociais por meio do Goiás Social cuja a única porta de entrada é o Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal. São eles: Mães de Goiás, Dignidade, Goiás Por Elas e Aprendiz do Futuro.


Por isso, os beneficiários devem manter os dados sempre em dia. Cadastros com mais de 24 meses sem atualização estão sujeitos a suspensão ou cancelamento dos benefícios e a família só poderá retomá-los depois que regularizar a situação.


Há várias situações que requerem a atualização de dados junto ao CadÚnico, como mudança de endereço, alteração da renda, quando a pessoa entra, muda ou perde o emprego. A alteração da composição familiar, com ingresso ou saída de membros, também é outro dado fundamental. E, ainda, quando os filhos trocam de escola.


No caso do Mães Goiás, além dos dados desatualizados do CadÚnico, a não utilização do benefício por mais de 60 dias, com saldo duas vezes acima do valor mensal recebido, que é de R$ 250, leva à sua suspensão.


As mesmas condições se aplicam ao programa Dignidade, que destina R$ 300 mensal a pessoas de 60 a 64 anos 11 meses e 29 dias, que ainda não alcançaram a aposentadoria e não recebem nenhum outro benefício previdenciário e o Bolsa Família.


O Mães de Goiás atende mulheres com filhos de até seis anos de idade, inscritas no CadÚnico e na faixa da extrema pobreza. O período de permanência no programa é de 12 meses, podendo ser prorrogado por até 36. Já o Goiás


Por Elas corresponde ao repasse mensal de R$ 300, por até um ano, a mulheres em situação de violência e vulnerabilidade social, com medida protetiva de urgência e inscritas no CadÚnico. As contempladas têm prioridade nos demais programas sociais do governo estadual. O que torna ainda mais importante, manter os dados sempre atualizados.


O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds), mantém vários programas sociais por meio do Goiás Social cuja a única porta de entrada é o Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal. São eles: Mães de Goiás, Dignidade, Goiás Por Elas e Aprendiz do Futuro. Por isso, os beneficiários devem manter os dados sempre em dia. Cadastros com mais de 24 meses sem atualização estão sujeitos a suspensão ou cancelamento dos benefícios e a família só poderá retomá-los depois que regularizar a situação.

Há várias situações que requerem a atualização de dados junto ao CadÚnico, como mudança de endereço, alteração da renda, quando a pessoa entra, muda ou perde o emprego. A alteração da composição familiar, com ingresso ou saída de membros, também é outro dado fundamental. E, ainda, quando os filhos trocam de escola.


No caso do Mães Goiás, além dos dados desatualizados do CadÚnico, a não utilização do benefício por mais de 60 dias, com saldo duas vezes acima do valor mensal recebido, que é de R$ 250, leva à sua suspensão. As mesmas condições se aplicam ao programa Dignidade, que destina R$ 300 mensal a pessoas de 60 a 64 anos 11 meses e 29 dias, que ainda não alcançaram a aposentadoria e não recebem nenhum outro benefício previdenciário e o Bolsa Família.

O Mães de Goiás atende mulheres com filhos de até seis anos de idade, inscritas no CadÚnico e na faixa da extrema pobreza. O período de permanência no programa é de 12 meses, podendo ser prorrogado por até 36. Já o Goiás Por Elas corresponde ao repasse mensal de R$ 300, por até um ano, a mulheres em situação de violência e vulnerabilidade social, com medida protetiva de urgência e inscritas no CadÚnico. As contempladas têm prioridade nos demais programas sociais do governo estadual. O que torna ainda mais importante, manter os dados sempre atualizados.


O Aprendiz do Futuro, que contrata jovens vulneráveis para trabalharem em órgãos públicos nos 246 municípios, incluiu no seu último edital, que abriu inscrição para 10 mil vagas novas, a condição de família inscrita no CadÚnico.


Para o secretário Wellington Matos, o critério do cadastro único para acesso aos programas sociais confere um controle natural na sua concessão, atendendo realmente quem precisa. “Ele dá legitimidade às ações sociais do governo, ao utilizar-se da transparência de dados, e estampa a credibilidade dos programas”, avalia Matos.

13 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page