top of page

Audiência pública para avaliar ações da Equatorial será no início de abril, diz presidente da Comissão

Diante de ameaça de CPI, no ano passado concessionária se comprometeu com plano de melhoria da prestação de serviços



Jornal Opção

Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa de Goiás



A Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), presidida pela deputado estadual Lineu Olimpio (MDB), vai realizar no dia 2 de abril uma audiência pública para a concessionária de energia Equatorial apresentar os primeiros dados de ações implantadas pelo plano de melhoria da prestação de serviços de energia no Estado. As informações foram confirmadas pelo presidente da comissão.


O compromisso da companhia com os deputados ocorreu no segundo semestre do ano passado, quando houve a ameaça de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as constantes quedas de eletricidade em Goiás. Na ocasião, a comissão realizou uma audiência com participação da direção da Equatorial.


Lineu Olimpio ressaltou que a primeira audiência deste ano era para ocorrer em janeiro, porém o mês era de recesso, o que prejudicou a agenda. De acordo com o parlamentar, a data da próxima reunião com o colegiado foi um pedido da própria Equatorial, para haver a participação do seu presidente Lener Jayme. O encontro deve ter a participação de outros deputados, e, principalmente, do deputado Gugu Nader (Agir), que sugeriu a CPI.


“Eles vão trazer o comparativo do que era a proposta de execução e o que foi executado.


Na realidade, eles estão seguros que foi executado muito mais do que tinha sido previsto, porque o desejo deles é que de fato a coisa [melhoria] aconteça”, pontuou Olímpio. “De fato, também a gente está observando que os problemas e reclamações [do serviço da Equatorial] diminuíram”, arrematou.  


Acordo com MP-GO


A Equatorial firmou um acordo com o Procon Goiás, por intermédio do Ministério Público de Goiás (MP-GO), para renunciar a receita de mais de R$ 18 milhões, que beneficiará consumidores. Esse acordo refere-se a questões financeiras pendentes relacionadas às contas de energia emitidas por estimativa nos meses de janeiro de 2015, devido à falta de leituras nos meses anteriores daquele ano.


Ao todo, foram ingressadas 29 ações civis públicas em diversos municípios do estado, além de uma ação específica na Capital, em defesa dos consumidores. Em conjunto com as ações propostas pelo MP-GO, o Procon Goiás também conduziu uma demanda perante a 1ª Vara da Fazenda Pública Estadual da comarca de Goiânia.


Como resultado das decisões judiciais, as contas de energia do período em questão foram recalculadas para refletir o consumo real. A concessionária antecipou-se na análise dos valores devidos em todo o estado.


Em um esforço para resolver as demandas judiciais de forma conciliatória, a Equatorial concordou em renunciar a receita. O presidente da concessionária, Lener Jayme, destacou a abordagem conciliatória como parte natural da gestão da empresa e enfatizou sua disposição para resolver conflitos dessa natureza.


Nota da Equatorial


A Equatorial Goiás, prezando pelo seu valor transparência, reitera que segue aberta ao diálogo com as autoridades e entidades para prestar todas as informações que forem requeridas.


O desafio é grande, assim como a dimensão do trabalho que está sendo executado. A distribuidora reitera o compromisso com o consumidor de manter o trabalho dia e noite e os investimentos necessários para que a melhoria no fornecimento de energia seja gradativamente percebida pelos consumidores.


Assessoria de Imprensa Equatorial Goiás

8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page