top of page

Após ser condenado no TSE, Bolsonaro diz que 'não está morto' e que pensa em recorrer ao STF

Jair Bolsonaro está em Belo Horizonte para o velório e enterro do ex-ministro da Agricultura Alysson Paolinelli.


G1

Ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) concede entrevista em BH após TSE formar maioria para torná-lo inelegível — Foto: TV Globo/ Reprodução



Após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) formar maioria pela condenação e consequente inelegibilidade de Jair Bolsonaro (PL), ele disse, em Belo Horizonte, que "não está morto" politicamente e que pensa em recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).


Durante entrevista coletiva, Bolsonaro afirmou que "acredita ser sido a primeira condenação por abuso de poder político" e se tratar de um "crime sem corrupção".


Quando questionado sobre entrar ou não com recurso, Bolsonaro disse que vai conversar com advogados para tomar a decisão. "Meu recurso é no Supremo Tribunal Federal, né?", ironizou o ex-presidente.

"Tentaram me matar aqui em Juiz de Fora há pouco tempo, levei uma facada na barriga. Hoje levei uma facada nas costas com a inelegibilidade por abuso de poder politico", disse o ex-presidente.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) condenou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) por abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação. Com a decisão, a Corte declarou Bolsonaro inelegível por oito anos, até 2030.


'Pelo conjunto da obra'

Jair Bolsonaro avaliou que foi julgado pelo "conjunto da obra" e não somente pela reunião com os embaixadores, origem da ação movida pelo PDT que o levou a inelegibilidade.


O ex-presidente disse que, no julgamento dele, "modificou-se a jurisprudência" com relação ao julgamento da chapa Dilma-Temer, em 2017, quando o tribunal não aceitou outras cinco infrações que não estavam no pedido inicial do PSDB, que moveu a ação.


Mesmo sem provas, o ex-presidente voltou a defender o "voto impresso", uma das motivações para a condenação, e citou que "luta por isso desde 2012" e que "querer acrescentar camadas de segurança" ao processo eleitoral não é crime.

7 visualizações0 comentário
bottom of page