top of page

Após ser cobrado por vítima de João de Deus, juiz de Goiás diz que sentença será dada nos próximos d

Andrea Mannelli denunciou o juiz Marcos Boechat Lopes Filho ao CNJ pela demora na decisão. Magistrado afirmou que o processo está concluso dentro do prazo.



A ativista Andrea Mannelli denunciou ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) o juiz Marcos Boechat Lopes Filho pela demora na decisão do processo dela contra o médium João de Deus. Andrea é uma das cerca de 500 mulheres que denunciaram João de Deus por crimes sexuais e, em uma rede social, desabafou e disse que não vai desistir de buscar por Justiça.

“Minha decisão de acionar o Conselho Nacional de Justiça por essa inércia absurda nasce de um inconformismo de testemunhar essa demora na condução de um processo de um dos casos mais emblemáticos de violência contra mulher no Brasil. Violenta não somente as vítimas, mas uma sociedade inteira que é afetada por esse tipo de crime”, escreveu.

Em nota enviada ao g1, o juiz Marcos Boechat Lopes Filho informou que está redigindo três sentenças em conjunto do caso João de Deus, incluindo a do processo de Andrea e elas serão publicadas nos próximos dias (leia abaixo o comunicado completo). A petição de Andrea foi enviada ao CNJ pela advogada Luiza Eluf no dia 17 deste mês. O magistrado afirmou que o processo de Andrea “está concluso” há cerca de 70 dias e que o prazo que o CNJ e a Corregedoria cobram dos juízes é de 100 dias. O g1 entrou em contato com o CNJ por e-mail às 6h58 desta segunda-feira (21) para obter detalhes da petição, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem. O juiz explicou ainda que se trata de um caso complexo e que os três processos envolvem 17 vítimas e tem cerca de 4 mil páginas. Além de depoimentos de mais de 100 testemunhas. A nota ressalta ainda que a última audiência do caso João de Deus será no dia 7 de dezembro e todos os processos pendentes estão na fase final e serão julgados até o início do ano que vem. Nota completa do juiz O juiz Marcos Boechat Lopes Filho informa a esse importante veículo de comunicação que, no momento, encontra-se redigindo três sentenças em conjunto do caso João de Deus (incluindo a do processo em questão), as quais serão publicadas nos próximos dias. Explicou ainda que se trata de caso complexo e que os três processos envolvem 17 vítimas no total e cerca de 4 mil páginas, para além de depoimentos de mais de uma centena de testemunhas. Esclareceu ainda que o processo da ativista está concluso há cerca de 70 dias e que o prazo que o CNJ e a Corregedoria cobram dos juízes é de cem dias. Ressaltou, por fim, que última audiência do caso João de Deus será no dia 7 de dezembro, ou seja, todos os processos ainda pendentes já estão na fase final e serão julgados até o início do ano que vem. O TJGO ratifica as informações do magistrado.

0 visualização0 comentário
bottom of page