top of page

Adolescente é estuprada por pai de psicóloga que tratou transtorno mental da garota, denuncia mãe

Homem de 57 anos foi preso. Após início da investigação, outras duas vítimas denunciaram que foram vítimas dele.


G1-Goiás

Delegacia de Polícia Civil de Silvânia, Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Civil


A mãe de uma adolescente de 14 anos denunciou que a filha foi estuprada pelo pai da psicóloga que tratou um transtorno mental da filha, em Anápolis, a 55km de Goiânia. A Delegacia de Polícia Civil de Silvânia, responsável pelo caso, informou que o homem de 57 anos, que trabalha como motorista, foi preso.


O homem foi preso na última quinta-feira (20) e vai responder pelo crime de estupro. A mãe da menina explicou que a filha apresentava sintomas de transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) quando iniciou o tratamento com a psicóloga, em Leopoldo de Bulhões. As sessões foram encerradas porque a paciente e a terapeuta desenvolveram uma amizade.


A mãe da adolescente afirmou que os abusos ocorreram duas vezes, entre abril e maio. Na última vez, a filha decidiu contar a situação para a mãe. Após as duas relatarem a situação para a psicóloga, a profissional passou a pressionar a família para que não denunciasse à polícia, alegando que isso “acabaria com a sua carreira" e até ofereceu dinheiro para que a adolescente saísse da cidade.


Segundo a mãe da adolescente, um dos abusos foi cometido na frente da filha de um ano da psicóloga, que estava acordada e chorando.


A mãe da menina disse ainda que estava em São Paulo acompanhando o tratamento do filho de oito anos que está com câncer. Nessas ocasiões, a adolescente costumava ficar aos cuidados de uma vizinha, mas que, como a psicóloga ligava para pedir autorização para ficar com a filha dela, ela permitia e confiava na profissional.


Crime

Segundo a mãe, a última visita da filha à casa psicóloga aconteceu como ocorria com frequência: a profissional ligou e perguntou se ela poderia ir até a casa dela cuidar da filha de um ano, que estava resfriada. A mãe permitiu que a adolescente fosse até a casa da mulher, localizada em Leopoldo de Bulhões, onde a família mora.


No entanto, a psicóloga levou a filha e a adolescente para ficarem sozinhas com o pai dela, em Anápolis. “Em abril, ele pediu a minha filha para calar a boca, falou pra ela não contar pra ninguém. Eu vi que minha filha não queria mais ir pra casa da psicóloga. Achei estranho”, contou a mãe.

29 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page