top of page

A campeã chegou: França elimina Inglaterra em jogaço e pega Marrocos nas semifinais

Tchouaméni e Giroud fazem os gols da vitória; Harry Kane marca em um pênalti e perde em outro


Globo Esporte

Tchouameni comemora gol da França contra a Inglaterra (Foto: REUTERS/Dylan Martinez)


A atual campeã do mundo chegou de novo. Com vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra, neste sábado, em um jogaço no estádio Al Bayt, a França se garantiu mais uma vez na semifinal da Copa – pegará Marrocos. Os gols foram marcados por Tchouaméni e Giroud, em duas assistências de Griezmann. Harry Kane marcou de pênalti para os ingleses – e perdeu um outro, que poderia ter mandado a partida para a prorrogação.


E agora?


A França volta a campo na próxima quarta-feira, às 16h (de Brasília), para o jogo contra Marrocos pelas semifinais. O vencedor enfrentará Argentina ou Croácia, que se enfrentam na terça, na grande decisão, domingo. O perdedor disputará o terceiro lugar no sábado.


Kane x Lloris: defesas, gol e um pênalti nas alturas


Eles são velhos conhecidos – jogam juntos no Tottenham, da Inglaterra. E tiveram um duelo particular neste sábado. O atacante inglês Harry Kane parou no goleiro francês Hugo Lloris duas vezes na etapa inicial: primeiro ao girar sobre a marcação de Upamecano e sair de frente para o gol, depois ao arriscar de fora da área.


Mas veio o segundo tempo, e um pênalti deu a chance para Kane finalmente bater o colega. O chute forte, seco, no canto, empatou a partida e tornou o atacante o maior artilheiro da história da seleção inglesa, empatado com Wayne Rooney. Mas haveria mais. Haveria mais um pênalti. E Kane, desta vez, não marcou. Isolou por cima, muito longe do gol defendido pelo amigo Hugo Llloris.


Griezmann, um garçom histórico


Em um jogo no qual Kylian Mbappé não chamou tanto a atenção, a França foi carregada pelo talento de outro craque. Griezmann comandou a vitória com duas assistências, uma para cada gol. De quebra, virou o maior garçom da história da seleção francesa, com 28 passes para gol, superando Thierry Henry.


Pênaltis e mais pênaltis


Aos 24 minutos do primeiro tempo, Harry Kane foi derrubado por Upamecano no limite da entrada na área. O árbitro brasileiro Wilton Pereira Sampaio não apontou infração. O lance foi revisado pelo VAR – e o jogo seguiu. Na opinião de Salvio Spinola, comentarista da Central do Apito, houve pênalti na jogada. Depois, Wilton apitaria mais dois pênaltis, ambos a favor da Inglaterra, e ambos marcados corretamente, na visão de Salvio.


Tchouaméni, para o bem e para o mal


Em meio a tantos astros, Tchouaméni, 22 anos, meia do Real Madrid, se tornou personagem central da partida. Para o bem e para o mal. No primeiro tempo, fez o gol que colocou a França na frente. No segundo, cometeu o pênalti em Saka que resultou no gol de empate da Inglaterra, em cobrança de Harry Kane. Mas saiu do jogo tendo muito mais a comemorar. Está na semifinal com a França.




8 visualizações0 comentário
bottom of page