top of page

2,3 milhões de goianos estão inadimplentes

Número de inadimplentes em Goiás é 9,3% maior que no ano passado, com aumento também de 12% da quantidade de dívidas e de 19,2% do montante devido, indicam pesquisas



Cristiane Castro de Oliveira: auxiliar de serviços gerais se considera superendividada após um empréstimo (Foto: Fábio Lima / O Popular)


O consumidor goiano ficou mais endividado e inadimplente este ano. Um levantamento feito pela Serasa mostrou que, no último mês de outubro, o número de pessoas no estado com crédito negativado era 9,3% maior que no mesmo período do ano passado. Estas pessoas tinham 12% mais dívidas e também deviam um valor total 19,2% maior que em 2021.


A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), da Confederação Nacional de Comércio, Bens e Serviços (CNC), mostra que estão endividadas 60,5% das famílias goianas, contra 53,5% no ano passado.


Dados do Banco Central também revelam um aumento do nível de endividamento e do comprometimento da renda das famílias. Para economistas e especialistas em finanças pessoais, estes números impactam não só o orçamento das famílias, mas também contribuem para a desaceleração da economia, pois quem está endividado tende a consumir menos. Este comportamento acaba se refletindo nos indicadores da indústria e do comércio.


De acordo com a Serasa, em outubro, quase 2,3 milhões de goianos estavam inadimplentes. Para a gerente da Serasa, Camila Cruz, entre as principais causas da inadimplência dos consumidores estão a alta da inflação, o desemprego ainda elevado e a desorganização financeira.


Ela explica que, com preços mais altos e a renda mais achatada, as pessoas acabam recorrendo mais ao cartão de crédito para comprar coisas básicas para o dia a dia, como alimentos e combustíveis. O limite do chamado “dinheiro de plástico” tem sido utilizado como um complemento de renda.


Aliás, o cartão de crédito continua sendo o maior vilão do endividamento das famílias, por ser um crédito de fácil acesso e ter juros muito elevados. De acordo com a PEIC, em outubro, 80,3% dos endividados tinham dívidas no cartão.


A pesquisa Perfil e Comportamento do Endividamento Brasileiro 2022, da Serasa, mostra que das dívidas contraídas no cartão de crédito, 65% correspondem a compras em supermercados.


Quem está inadimplente não tem crédito no mercado para comprar e não ajuda a movimentar a economia. “Uma mostra disso tivemos no desempenho da Black Friday. A economia vive de oferta e demanda”, destaca Camila Cruz.


Para tentar reduzir o problema, a Serasa tem realizado feirões de renegociação, que têm tido uma grande procura. Quem está inadimplente pode procurar o Feirão Serasa Limpa Nome, através dos canais digitais da empresa, para renegociar. A edição atual do evento termina hoje.

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page