Dom, 24 de Jun de 2018

CCJ aprova parecer pela cassação do mandato de Delcídio

Em sessão extraordinária, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a constitucionalidade do processo que recomendou a cassação do mandato do ex-líder do governo Delcídio do Amaral (ex-PT-MS).

10/05/2016 07h50
MSN

Em sessão extraordinária, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a constitucionalidade do processo que recomendou a cassação do mandato do ex-líder do governo Delcídio do Amaral (ex-PT-MS). Preso em 25 de novembro por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), Delcídio foi formalmente acusado de atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato ao tentar comprar o silêncio de uma testemunha crucial: o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, que sabe como poucos como funcionou o processo de aparelhamento político na petroleira e de distribuição de propina a políticos do PT, PMDB e PP.

Com a constitucionalidade atestada pela CCJ, o mérito do processo de perda de mandato de Delcídio está pautado em plenário para esta terça-feira. A articulação de senadores como Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR) é para que o ex-petista seja banido o mais rápido possível. Renan e Jucá foram citados como destinatários de propina no acordo de delação premiada celebrado pelo próprio Delcídio.

Hoje, o senador apresentou defesa na CCJ. "Eu não roubei, não desviei dinheiro, não tenho conta no exterior. Estou sendo acusado de obstrução de Justiça", lembrou Delcídio, que se emocionou ao citar a família e reclamou da velocidade com que o processo correu no Conselho de Ética do Senado. Apesar de ter citado o ex-presidente Lula como o mandante da negociação, em entrevista a VEJA, o senador não mencionou o petista em sua fala na CCJ nesta segunda.

Escanteado por ex-aliados, o ex-líder do PT já havia afirmado que pretendia votar no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff nas sessões agendadas para quarta e quinta-feiras. Uma manobra encabeçada pelo PSDB, exposta hoje na CCJ, tentava atrasar o processo contra Delcídio até que o aditamento da denúncia em que ele figura como alvo fosse mandado para o colegiado. A alegação dos tucanos, endossada pela maioria da comissão, era a de que o processo não poderia ter seguimento se os novos fatos não fossem trazidos à tona. Esse aditamento se refere à denúncia apresentada pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, contra o empresário José Carlos Bumlai e contra o filho dele Maurício Bumlai por indícios de que atuaram para atrapalhar as investigações da Lava Jato.

O problema detectado pelos senadores, no entanto, é que essas suspeitas contra Lula e a família Bumlai estão sob segredo de justiça e não poderiam ser compartilhadas com a CCJ, atrasando ainda mais o processo de cassação de Delcídio. Por isso, uma proposta alternativa foi apresentada: a de que o caso fosse tratado com urgência para se suprimirem prazos regimentais e abrir caminho para a votação do mérito da cassação em si.

A discussão regimental para encurtar prazos ocorreu depois de o presidente do Senado Renan Calheiros acusar políticos de estarem promovendo uma manobra procrastinatória para garantir sobrevida a Delcídio e de anunciar que não pautaria o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff enquanto a situação de Delcídio não fosse finalizada.

"Terei muita dificuldade de convocar uma sessão de afastamento da presidente antes do julgamento do senador Delcídio. Não podemos deixar o processo legislativo se procrastinar", disse Renan, que comparou o ineditismo de um voto de Delcídio no impeachment à esdrúxula decisão do presidente em exercício da Câmara dos Deputados Waldir Maranhão (PP-MA), que anulou hoje sessões do impeachment de Dilma. "O espetáculo de colocar aqui o senador Delcídio para votar o afastamento da presidente da República é tão grande quanto esse do presidente interino da Câmara", alegou.

A versão impressa do Jornal Verde Vale é veiculada às sextas-feiras. Para quem não conseguiu garantir a leitura no fim de semana ou deseja indicar o conteúdo a outras pessoas, é disponibilizada a versão on-line, sempre na terça-feira seguinte a publicação.

Anterior Proximo
Enquete
Ver Resultado
áudios
Programete - 21.06.2018
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 21.06.2018
Oscar Rodrigues lança livro de reflexões na noite de hoje
Jornal do Meio Dia - 21.06.2018
Projeto Famp Vai à Escola promove exposição de trabalhos realizados pelos da Escola Municipal Otalécio Alves Irineu
Programete - 20.06.2018
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 20.06.2018
Projeto Patinha implanta bazar permanente em Mineiros
Programete - 19.06.2018
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 19.06.2018
Rede Estadual de Ensino de Mineiros realiza no dia 26 eleição para diretores das escolas
Jornal do Meio Dia - 19.06.2018
Acadêmicos do curso de Direito da Unifimes pedem ajuda financeira para realizar visita técnica em Brasília
Jornal do Meio Dia - 19.06.2018
Alunos participam da 9ª Culminância e Feira de Profissões Construído Saberes do Colégio Polivalente
Programete - 18.06.2018
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 18.06.2018
Brasil estreia com empate na Copa do Mundo... comentarista Lélio Camargo fala sobre a estréia brasileira
Jornal do Meio Dia - 16.06.2018
Senadora Lúcia Vânia comenta situação da BRF em Goiás
Programete - 15.06.2018
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 15.06.2018
Fundação Coccinella realiza hoje seu 1º Arraiá no estacionamento do Ipê Shopping
Programete - 14.06.2018
Alexandre Garcia
Programete - 13.06.2018
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 13.06.2018
Finais da 16º Copa Tio Marcelo de Futsal acontece nesta quarta-feira em Mineiros
Programete - 12.06.2018
Alexandre Garcia
Jornal do Meio Dia - 12.06.2018
Presidente do Sintego/Mineiros reforça ao pais e alunos da rede Municipal de ensino que haverá paralização nesta quarta
Programete - 11.06.2018
Alexandre Garcia
Anterior Proximo